segunda-feira, 23 de abril de 2018

Boa Rádio à 2ª feira

















07:00/10:00 SBSR – Manhã Autêntica
10:00/12:00 TSF – Forum
11:00/14:00 RUM – Elisabete Apresentação
14:00/15:00 TSF – A Playlist De
16:00/20:00 Antena1 – Paulo Rocha
19:00/20:00 Antena3 – Prova Oral
20:00/21:00 Antena2 – Jazz a 2
23:00/00:00 Antena2 – A Ronda da Noite
23:00/00:00 RADAR – Álbum de Família
23:00/00:00 RADAR – A Hora do Bolo
00:00/01:00 Antena1 – Crónicas da Idade Mídia
01:00/02:00 TSF – Jogo Jogado
02:00/03:00 TSF – A Playlist De
03:00/05:00 Antena1 – A Linha do Horizonte
05:00/07:00 Antena1 – José Candeias

domingo, 22 de abril de 2018

Hoje em LOURES







































Como um filme que se baseia numa obra literária, Franz Liszt deixou-se guiar pela fascinante Comédia de Dante Alighieri e compôs em 1855 uma sinfonia magistral. Mas porque os filmes também se inspiram em obras musicais, recordamos aqui um concerto para piano do século XVIII que se viu popularizado nas telas de cinema. O segundo andamento do Concerto N.º 21 de Mozart destaca-se no filme Elvira Madigan, realizado pelo sueco Bo Widerberg em 1967. É uma das mais belas melodias de sempre.

Um programa que conta com a participação do Coral de Letras da Universidade do Porto, dia 21 de Abril no Coliseu Porto, e do Coro Sinfónico Lisboa Cantat, dias 22 e 24 de Abril, no Pavilhão Paz e Amizade e no Centro Cultural e Congressos das Caldas da Rainha. 

sábado, 21 de abril de 2018

Hoje no Mundo




















Dia das lojas de discos 






















sexta-feira, 20 de abril de 2018

Os 20 anos deste disco

























Editado no dia 20 de Abril de 1998 
Terceiro álbum do colectivo britânico Massive Attack. Um dos nomes que na década de 90 colocou em cena o novo som proveniente de Bristol, a par de Tricky e dos Portishead, entre outras formações.
Os Massive Attack reforçaram com este disco um estatuto de relevância obtido logo ao primeiro álbum, em 1991, «Blue Lines» e continuado com «Protection» em 1994.
Se nos dois primeiros trabalhos se destacavam as vozes convidadas de Shara Nelson e Tracey Thorn, dos Everything But The Girl, em «Mezzanine» foi a vez de Elizabeth Fraser dos então já extintos Cocteau Twins.
Esta trilogia dos Massive Attack conheceu exposição radiofónica em Portugal tendo influenciado o gosto do público e, com isso, feito trazer o grupo a Portugal para actuações ao vivo, registando enchentes. Os últimos anos pré-explosão da Internet.
Seguiram-se mais duas edições discográficas dos Massive Attack em 2003 e 2010, mas longe do êxito alcançado com «Mezzanine».


quinta-feira, 19 de abril de 2018

Acervo Origens














«Acervo Origens» é um programa da Rádio Nacional do Brasil, apresentado por Cacai Nunes.
Um programa dedicado à Música Tradicional brasileira a partir das suas mais remotas origens.
É a divulgação de um tremendo espólio, com todas as virtudes e excessos que carregam em décadas de história de um povo assente num mosaico recheado de contrastes.
Na Rádio Nacional, a partir de Brasília, desde o ano 2010. Em Portugal, o programa «Acervo Origens» é retransmitido na Antena2, nas noites de quarta para quinta-feira, depois da meia-noite, incluído no programa «Raízes», de Inês Almeida. 








Rádio Nacional de Brasília
Ouvir aqui

Antena2
Ouvir aqui

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Os 30 anos deste disco

























Editado no dia 14 de Março de 1988 
A banda do norte de Inglaterra já tinha atingido a aclamação três anos antes, com o álbum «Steve McQueen. É com esse estatuto que os Prefab Sprout chegaram ao terceiro álbum de originais, «From Langley Park to Menphis».
A Rádio em Portugal vivia o último ano do movimento das 'Rádios Livres' ou das também chamadas 'Rádios Pirata'. Algumas delas, já com bastantes avanços técnicos e muita qualidade na programação, fizeram deste disco um caso de sucesso em Portugal.
O conteúdo do álbum não merecia menos. Canções como "Hey Manhattan", "Cars And Girls", "The King of Rock 'N' Roll", "I Remember That", "Nancy" e "Nightingales" ficaram imediatamente no ouvido de quem na altura ouvia Rádio diariamente em Portugal, especialmente as estações locais de Lisboa (ainda ilegais) TSF, CMR e Gest, para além das nacionais Rádio Comercial e RFM.
Ainda hoje, passadas três décadas, são algumas destas canções de Paddy McAloon que mais se ouvem na actual Rádio em Portugal de cada vez que é a vez dos Prefab Sprout tocarem nas playlists.
A partir de 1990 os Prefab Sprout viveram vários hiatos, com edições mais irregulares e espaçadas, mas mantendo-se em actividade até à actualidade. O mais recente álbum foi publicado em 2013.


terça-feira, 17 de abril de 2018

Boa Rádio à 3ª feira




















07:00/10:00 SBSR – Manhã Autêntica 
10:00/12:00 TSF – Forum 
11:00/14:00 RUM – Elisabete Apresentação 
14:00/17:00 RADAR – Joana Bernardo 
17:00/20:00 Antena1 – Paulo Rocha 
19:00/20:00 Antena3 – Prova Oral 
20:00/21:00 Antena2 – Jazz a 2 
20:00/23:00 SBSR – Arena Lunar 
22:00/23:00 Antena3 – Portugália 
23:00/00:00 Antena2 – A Ronda da Noite 
00:00/01:00 Antena2 – Raízes 
01:00/02:00 Antena2 – Música Contemporânea 
02:00/03:00 TSF – A Playlist De 
03:00/05:00 Antena1 – A Linha do Horizonte 
05:00/07:00 Antena1 – José Candeias 

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Hoje na RADAR
























Editado em Setembro de 1986, «Forever Breathes The Lonely Word» dos Felt é o disco transmitido na íntegra no programa «Álbum de Família». 
O sexto álbum do agrupamento britânico liderado pelo vocalista Lawrence Hayward. É difícil definir qual o melhor trabalho dos Felt, embora «Forever Breathes The Lonely Word» seja um álbum referido como uma obra-prima da Pop alternativa Pós-Punk e um clássico da editora Creation. 
Este álbum marca o meio do tempo de vida da banda. «Forever Breathes The Lonely Word» é o primeiro disco dos Felt que não inclui temas instrumentais. 
A carreira dos Felt começou no final da década de 70 e foi nos anos 80 que a banda fez história nos circuitos alternativos. 
Os Felt editaram dez álbuns entre 1982 e 1989. A banda desfez-se após o décimo álbum e Lawrence encetou outro projecto musical, Denim. Há duas décadas formou o projecto Go-Kart Mozart, onde ainda se mantém. Martin Duffy encontra-se actualmente nos Primal Scream. 
Na capa deste álbum aparece parte do rosto do então jovem pianista Martin Duffy, que entrou para a formação inglesa em 1985 com apenas 16 anos de idade. 

Álbum de Família 
RADAR
Realização e apresentação de Joana Bernardo
2ª feira às 23:00

domingo, 15 de abril de 2018

Hoje em LISBOA



sábado, 14 de abril de 2018

Hoje em LISBOA






































Sobretudo quando escutado ao vivo, o som do violoncelo tem uma capacidade de sedução inigualável. Sem o brilhantismo nem a projecção do violino, consegue manter uma agilidade melódica impressionante para as suas dimensões físicas, e acrescenta-lhe essa voluptuosidade tão característica dos registos mais graves. Apreciar tudo isto, e muito mais, é o que nos propõe o violoncelista Pavel Gomziakov, que se apresenta neste programa à frente dos músicos da OML. Traz consigo uma mão cheia de obras que exploram à exaustão a versatilidade do instrumento. 

sexta-feira, 13 de abril de 2018

m80 11 anos















A M80 celebra o décimo primeiro aniversário com mais uma das habituais festas. Esta noite na LX Factory, em Lisboa.
Fundada na Primavera de 2007, a M80 pertence ao grupo Média Capital e ocupa actualmente a Rede Regional Sul, originalmente atribuída à Press Livre em 1989 para difusão da estação local de Lisboa Correio da Manhã Rádio. Em 1993 o CMR encerra e a Rede Regional Sul passa a ser ocupada pela então recém-criada Rádio Nostalgia. Por fim, antes de ser ocupada pela M80, a Rede Regional Sul foi ocupada pelo Rádio Clube, entretanto encerrado em Julho de 2010.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Hoje em LISBOA




































Biblioteca Nacional de Portugal 
Campo Grande 83, 1749-081 Lisboa 

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Hoje na Antena2















Festival da Primavera de Viseu 

Transmissão em directo às 21:00, a partir do Clube de Viseu, em frente à Câmara Municipal. Actuação do 5G5C Guitar Quintet.
Uma noite diferente na programação do canal erudito da Rádio Pública.

Antena2
21:00/23:00
Ouvir aqui

O Festival da Primavera de Viseu decorre entre os dias 6 e 28 deste mês e estão previstas mais transmissões em directo na Rádio nos próximos dias. Mais informação aqui.

terça-feira, 10 de abril de 2018

Um milhão há cem anos

Abril 1918-2018














Aníbal Augusto Milhais foi o soldado raso português que na Primeira Guerra Mundial protagonizou  um acto de bravura que salvou muitos soldados portugueses na batalha em que estavam envolvidos contra os alemães. A terrível batalha de La Lys, na região da Flandres na Bélgica, na manhã do dia 9 de Abril de 1918.
A história é conhecida, ocorreu há um século, mas embora já tenha sido anteriormente tratada na Rádio, nunca a ouvi tão bem contada como nesta reportagem da TSF. É uma bela história!

Reportagem Milhões, o pequeno grande herói
TSF-Rádio Notícias 
Reportagem de Afonso de Sousa 
Ouvir aqui  

Esta semana é estreado o filme português que evoca o «Soldado Milhões».






































Regressado a um acampamento português, o comandante Ferreira do Amaral saudou-o, dizendo o que ficaria para a História de Portugal: "Tu és Milhais, mas vales Milhões!". 
Foi o único soldado raso português da Primeira Grande Guerra a ser condecorado com o Colar da Ordem da Torre e Espada, a mais alta condecoração militar portuguesa. 

segunda-feira, 9 de abril de 2018

IF 34 anos

























A «Íntima Fracção» teve emissão inaugural numa noite de Sábado para Domingo, dia 8 de Abril de 1984, na Antena1.
O programa realizado por Francisco Amaral foi sempre nocturno, com algumas oscilações de horário ao longo destas quase três décadas e meia de emissões.
Começou numa noite de Sábado para Domingo, mas na maior parte do longo trajecto o horário foi de Domingo para segunda-feira, da meia-noite às duas da manhã. O horário clássico, que predominou na Antena1, TSF, RUC e RCP.
No período em que a «Íntima Fracção» foi programa diário na TSF de terça a Sábado, entre Setembro de 1993 ao Verão de 1996, o horário era da 01:00 às 03:00.
Actualmente encontra-se na RADAR, desde Janeiro deste ano, em dois horários. Quarta-feira das 23:00 à meia-noite e de Domingo para segunda-feira das 00:00 à 01:00.

domingo, 8 de abril de 2018

Hoje na Rádio Amália



















A Rádio Amália vai celebrar a chegada da Primavera dia 8 de Abril com um grande concerto e algumas das melhores vozes do Fado.
O Fado volta a dar as boas-vindas à estação das flores, no Concerto da Primavera da Rádio Amália. 


sábado, 7 de abril de 2018

Hoje em LISBOA






































G. P. Telemann e J. S. Bach cruzaram-se em Eisenach cerca de 1708 e conheciam bem o trabalho um do outro. O primeiro gozava de maior prestígio, na época, mas o relevo que a História confiou postumamente a Bach contribuiu para que fosse relegado para um plano secundário. Este programa confronta dois universos criativos singulares. O Concerto Brandeburguês N.º 5 e o Triplo Concerto BWV 1044 coincidem no protagonismo da flauta, do violino e do cravo diante da orquestra, mas a preponderância do cravo permite imaginar em ambos a presença de Bach enquanto instrumentista. Já na Suíte «As nações» de Telemann, entra-se no domínio da representação simbólica.

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Boa Rádio à 6ª feira


















07:00/10:00 SBSR - Manhã Autêntica
10:00/12:00 TSF - Forum
11:00/14:00 RUM - Elisabete Apresentação 
13:00/14:00 Antena2 - Ecos da Ribalta
13:00/16:00 SBSR - Manuela Paraíso 
16:00/19:00 Antena1 - Paulo Rocha 
19:00/20:00 Antena3 - Prova Oral 
20:00/21:00 Antena2 - Jazz a Dois 
20:00/22:00 Antena3 - Bons Rapazes 
22:00/00:00 Antena3 - Música Com Pés e Cabeça 
23:00/00:00 Antena2  - Um Certo Olhar 
00:00/01:00 TSF - Zona de Conforto 
01:00/02:00 Antena1 - O Amor É 

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Alice Vieira 75 anos














Fotografia de Jorge Carmona


Uma divertida conversa onde se falaram de coisas sérias 
Foi em Lisboa, no Centro Cultural de Belém, nas actividades subordinadas ao Dia Mundial da Poesia, em que também se celebrou o 75º aniversário da jornalista e escritora Alice Vieira. 
Alice Vieira é sobretudo conhecida por ser autora de Literatura infanto-juvenil, mas também é autora de Romance e Poesia. 
A conversa ocupou uma destas noites o mais interessante e belo programa diário de Rádio da actualidade. 

De Luís Caetano 
26 de Março 
Ler, ver e ouvir aqui 

quarta-feira, 4 de abril de 2018

A Vida Breve



















Há dias celebrou-se o Dia Mundial da Poesia e ouviu-se Poesia na Rádio. Mas, tal como outras formas de Arte, a Poesia está o resto do ano arredada da Rádio. Já houve um tempo em que várias formas de Arte tinham lugar na Rádio, não só géneros literários. Certos tipos de Música (muitos deles), Cinema e até Artes Plásticas, conheceram muito mais divulgação e fruição que nos dias de hoje, que é um cenário quase em vazio total.
Mas há um espaço diário onde há Poesia dita pelos próprios autores. Acontece em alguns horários na Antena2, de segunda a sexta-feira. «A Vida Breve» é Poesia diária, escolhida por Luís Caetano, que inclui o apontamento no programa «A Ronda da Noite», que realiza no canal cultural público. Desde nomes consagrados do passado, passando por autores desconhecidos, chegando a autores contemporâneos. Gravações antigas e actuais. Há lugar para todos, nacionais e internacionais, em «A Vida Breve». Um espaço valioso, absolutamente único, revestido de enorme beleza na apresentação musical do indicativo (Franz Schubert) antes e depois dos poemas, não fosse o seu ideólogo o radialista que concebe «A Ronda da Noite» e «A Força das Coisas», os mais, respectivamente, belos e interessantes programas diário e semanal da actual Rádio portuguesa.
Nos tempos mais recentes, ficou-me no ouvido um poema da polaca Wislawa Szimborska (1923-2012), Prémio Nobel da Literatura em 1996. 


O Dia Seguinte Sem Nós 

Prevê-se manhã fria e céu encoberto 
Aproximação de nuvens vindas do quadrante Oeste 
Fraca visibilidade, piso escorregadio 
Ao longo de todo o dia, devido a uma frente de alta pressão 
Que se desloca do Norte 
Há a possibilidade de boas abertas em algumas regiões 
Mas em caso de vento variável e rajadas 
Podem ocorrer trovoadas 
De noite, bom tempo em quase todo o território 
Somente no Sudeste não é de excluir a ocorrência de aguaceiros 
Acentuada baixa de temperatura 
Mas aumento da pressão atmosférica 
O dia seguinte promete ser um dia de Sol 
Mas, a quem ainda estiver vivo, recomenda-se o guarda-chuva 

Wislawa Szimborska 

Ouvir aqui















A Vida Breve - Poesia por quem a escreve 
Um programa de Luís Caetano 
2ª a 6ª feira 
12:50; 16:50; 23:50; 04:50

Ouvir aqui 

Recolha das leituras feita pelo autor junto dos poetas e também no arquivo da Rádio e em edições discográficas. 

terça-feira, 3 de abril de 2018

Autobiografia de Fernando Correia


São poucas as pessoas da Rádio que publicam livros e, autobiografias, ainda menos.
Fernando Correia é uma das grandes figuras da História da Rádio em Portugal dos últimos 60 anos.






































Da sua geração ainda em actividade é o segundo radialista mais antigo, depois de Aurélio Carlos Moreira.
Fernando Correia ficou mais conhecido no mundo da Rádio pela excelência dos relatos de Futebol que narrou durante muito tempo, mas antes de se distinguir nessa área, foi radialista de muitas outras funções. 
Iniciou carreira na Rádio em 1958 na Emissora Nacional. O percurso de Fernando Correia na Rádio continuou no RCP-Rádio Clube Português, RDP-Rádio Comercial, TSF-Rádio Jornal, Rádio Clube, NFM, CNR e Rádio Amália, onde se encontra actualmente.

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Os 30 anos deste disco

























Editado em Agosto de 1988 
Há trinta anos em Portugal havia quem soubesse quem eram os Sugarcubes, pouca gente sabia que eram da Islândia (cantavam em inglês) e quase ninguém sabia o nome da vocalista. 
A banda de Reykjavík em que Bjork cantava editou três álbuns entre os anos de 1988 e 1992. 
A partir do ano seguinte a antiga vocalista dos Sugarcubes, já a solo, começava rapidamente a tornar-se numa vedeta à escala mundial. 
O tema "Deus" (Deus does not exit, diz a letra da canção) teve boa divulgação na Rádio em Portugal, mas mais ainda  na Televisão, num dos programas que na altura existia sobre Música Pop-Rock. Outro dos temas que ficou conhecido deste álbum é a canção “Birthday”, cujo single já havia sido editado no Verão do ano anterior.
Três décadas após a publicação deste disco, os Sugarcubes estão completamente desaparecidos da Rádio e Bjork, após um período de enorme exposição, também já vai passando quase nada. 


domingo, 1 de abril de 2018

Boas Canções novas que não passam na Rádio


The Low Anthem – "Give My Body Back


Gwenno – "Tir Ha Mor



Haley Heynderickx – "Jo



Lucy Dacus – "Addictions


sábado, 31 de março de 2018

Boas canções novas que não passam na Rádio


Tracey Thorne & Corinne Bailey Rae – "Sister




Kacy & Clayton – "A Certain Kind of Memory




Laura Veirs – "Everybody Needs You




Bonny Doon – "Long Wave




quinta-feira, 29 de março de 2018

A LUGAR COMUM apresenta:






































Largo do Poço,3, 1º andar, 3000-335 COIMBRA 

Em 2015, Nils Frahm decidiu instituir um novo "feriado": inspirando-se no piano, criou um dia de comemoração em torno deste, a acontecer no 88º dia do ano , correspondendo ao número de teclas do piano. Surgia assim o Piano Day, que, desde 2015, tem vindo a crescer em torno das teclas pretas e brancas!
Este ano, a 29 de Março, repete-se esta celebração. A Lugar Comum e o Jazz ao Centro Clube juntam-se para assinalar o Piano Day em Coimbra, promovendo o encontro do piano do Salão Brazil com a criatividade e génio de Tiago Sousa, para um concerto úncio e irrepetível. A este espectáculo, soma-se ainda uma actividade de Serviço Educativo, através de uma oficina de férias de Diálogos Com O Piano!


Portador de uma linguagem estética e musical singular, a história de Tiago Sousa perpassa diversos capítulos e encarnações. Depois de uma dedicada batalha no campo das edições fonográficas, enquanto criador da Merzbau, aventurou-se ao piano, predispondo-se a encontrar neste um constante desafio. Rumo ao desconhecido, o seu percurso tem-se pautado por um constante sentimento de descoberta, tanto pessoal, quanto artística, que o levou a gravar, desde 2006, diversos discos em nome próprio e em colaboração com outros músicos.

A pretexto da comemoração do Piano Day, Tiago Sousa apresentará no Salão Brazil um concerto único e irrepetível. 



Tiago Sousa é um dos músicos mais originais do nosso tempo. 
Ípsilon, PÚBLICO

(...) Tiago Sousa está onde devia estar: a escrever música complexa mas com resultados que espelham uma enorme beleza e inteligência na composição. 
Bodyspace

(...) a combinação de ingredientes que, aqui, se manifesta em regime de plena liberdade não se ouve todos os dias" 
Expresso  




Bilhetes:
Entrada normal: 7,00 €
Bilhetes à venda na Bilheteira Online e nas lojas A CamponezaCoimbra Concept Store, Gang of FourLucky Lux e Mau Feitio


LUGAR COMUM – associação de promoção e divulgação cultural 

terça-feira, 27 de março de 2018

Os 35 anos deste disco

























Editado no dia 4 de Março de 1983 
Os autores, Andy Mccluskey e Paul Humphreys estiveram ao vivo há poucas semanas na Aula Magna, em Lisboa. São os Orchestral Manoeuvres in the Dark. Os OMD, também assim designados, editaram este delicioso álbum inspirado no mundo da Rádio numa altura em que a Rádio era um meio mais preponderante na vida das pessoas do que hoje em dia. Basta lembrar que estávamos num mundo anterior à revolução digital nos meios de comunicação social, embora a componente digital já fosse uma realidade em alguns equipamentos técnicos. Não existia Internet, nem lá perto. A Televisão por cabo era uma miragem, os canais de TV – unicamente públicos – eram apenas dois e não transmitiam 24 horas por dia. Em Portugal ainda não existia Televisão privada e a única Rádio privada a nível nacional era da igreja. 
Contendo fragmentos de emissões de Rádio captadas através de Onda-Curta, «Dazzle Ships» é um disco que não evita o risco, o desassombro e o silêncio, aspectos tão temidos e tão essenciais à Rádio. 

Alinhamento:

Lado A

01 Radio Prague
02 Genetic Engineering
03 ABC Auto-Industry
04 Telegraph
05 This Is Helena             
06 International 

Lado B 

07 Dazzle Ships (Parts II, III & VII)
08 The Romance of the Telescope         
09 Silent Running
10 Radio Waves
11 Time Zones
12 Of All the Things We've Made


Faixas extra na reedição em 2008

13 Telegraph (The Manor Version 1981)             
14 4-Neu
15 Genetic Engineering
16 66 and Fading             
17 Telegraph (extended version)           
18 Swiss Radio International 



Outros grandes discos que têm como temática a Rádio: «Radioactivity» dos Kraftwerk (1975) e «I Trall The Megahertz» de Paddy McCalloon (2003). 

domingo, 25 de março de 2018

Hoje em LISBOA





































A Paixão Segundo São João de Bach é uma Oratória de 1724 que junta à orquestra um coro e quatro cantores solistas na interpretação da mais dramática sequência de episódios que se lê na bíblia. O sofrimento de Jesus precedente à crucificação é o eixo em torno do qual se desenvolve toda a narrativa, desde a prisão no Monte das Oliveiras até ao momento em que o corpo é descido da cruz. A Negação de Pedro, a crueldade de Pilatos, a coroa de espinhos e o vinagre... são imagens que, independentemente da fé, nos mergulham em pensamento e comoção. Sem tela nem pincel, a música de Bach mostra sombras e luzes que só a imaginação alcança.

quinta-feira, 22 de março de 2018

Dia Mundial da Poesia na Rádio















Ontem celebrou-se o Dia Mundial da Poesia e, à semelhança do ano anterior, a Rádio assinalou a data com passagem de Poesia nas suas emissões. 
A Antena2 repetiu a fórmula do ano passado, com a declamação de poemas pelas vozes da estação e outras pessoas da Rádio. 
A TSF desafiou os ouvintes a escolherem os poemas de suas vidas e gravá-los na própria voz. 

Dia Mundial da Poesia 
21 de Março 2018 
Ouvir aqui

Dia Mundial da Poesia 
21 de Março 2018 
Ouvir aqui 

terça-feira, 20 de março de 2018

Estação da Primavera















Este ano o Equinócio da Primavera é neste dia 20 de Março (ocorreu às 16:15). Este instante marca o início da Primavera no Hemisfério Norte. Esta estação prolonga-se por 92,79 dias até ao próximo Solstício, o de Verão, que ocorrerá no dia 21 de Junho às 11:07, hora continental portuguesa.  

Hoje em BRAGA



domingo, 18 de março de 2018

Os 30 anos deste disco
























Segundo e último volume da recolha do milenar espólio das vozes búlgaras na editora independente britânica 4AD.
Após a descoberta mostrada ao mundo num primeiro volumedois anos depois já o fenómeno estava a conhecer a mundialização, com presença na Rádio. 
Sem o rasgo inovador que constituiu a primeira edição, este segundo disco confirma e consolida a magia inaugural de um novo filão, que no mercado musical se chamaria de World Music.
Melhor que ninguém, é o próprio Marcel Cellier que explica o Mistério das Vozes Búlgaras em anotações presentes no disco «Le Mystère des Voix Bulgares» (volume II) editado pela 4AD em 1988:

Este disco dá a cesso a um tesouro. Um tesouro de jóias, nascido na antiguidade mitológica com o povo Trácio, do qual Orfeu, o lendário cantor-poeta-músico, era príncipe. Tudo isto no solo a que hoje chamamos Bulgária.
Durante séculos que comportam a história estranhamente agitada, estas jóias têm sido estratificadas, polidas, aperfeiçoadas, com vista à obtenção de um brilhantismo e de uma pureza impossíveis de encontrar em qualquer outro local. E ainda hoje, o povo búlgaro "dá à luz" descendentes de Orfeu, que nos oferecem estes tesouros emanados do ápice dos seus lábios.
Numa síntese muito bem conseguida neste disco, os seus cantos encerram em si todos os elementos que constituem a específica arte vocal búlgara: desde a diafonia arcaica, praticada com uma delicadeza fantástica, até à mais ousada e moderna polifonia.
Entre estes dois extremos, os traços principais e mais característicos do espírito búlgaro, podem ser detectados principalmente no suporte melódico e temático, onde se fazem significativas referências aos sucessivos períodos históricos: A conversão ao cristianismo no ano de 865; os antigos estilos eclesiásticos; a liturgia bizântina, a revolta contra Bizâncio (1186) e o trágico período de cinco séculos marcado pelo domínio Otomano.
Tendo-se desenvolvido num tal contexto histórico e social, o canto búlgaro possui naturalmente um poder evocativo de cantos únicos.
Por todo o lado, o canto é considerado uma espécie de tradição sagrada, que se tem transmitindo de geração em geração nas regiões montanhosas da Macedónia, Rhodopes e Pirin, nas regiões planas da Trácia, Shopsko (perto de Sofia) e nas regiões de Dobroudja perto do Mar Negro. Esta tradição constitui as "bases sonoras" da cultura nacional da Bulgária.

Beleza da perfeição!
Perfeição da beleza!

Dizia eu no fim do volume I. Espero que este volume II, terminando com a maestria do trabalho de Gueorgui Mintchev (um exemplo para a disciplina vocal universal), que lidera os compositores búlgaros presentes neste disco, nos revele os mesmos encantos que o volume I.
É este o meu desejo.


Marcel Cellier
Traduzido do francês por Catherine Gaitte 

sábado, 17 de março de 2018

Hoje em SINTRA



sexta-feira, 16 de março de 2018

Marketeer consume it

Alguém me dê um desconto, que não vou neste conto 







































Fonte: Marktest

quinta-feira, 15 de março de 2018

Clarice Lispector
















A mais misteriosa das escritoras do Brasil, contemplada numa extensa biografia da autoria do norte-americano Benjamin Moser.
A conversa em português com o autor, em duas partes, no mais interessante e belo programa diário da actual Rádio portuguesa.
Também se pode escutar no programa extractos de uma entrevista de Clarice Lispector a Júlio Lerner na TV Cultura, no Brasil, meses antes de Clarice morrer.

A Ronda da Noite
De Luís Caetano
12 de Março 2018
1ª parte
Ouvir aqui

13 de Março 2018
1ª parte
Ouvir aqui 

Quando morreu, em 1977, Clarice Lispector era uma das figuras míticas do Brasil, a Esfinge do Rio de Janeiro, uma mulher que fascinava os seus compatriotas, praticamente desde a adolescência. «Ao vê‑la, levei um choque», recordou o poeta Ferreira Gullar, sobre o primeiro encontro. «Seus olhos amendoados e verdes, as maçãs do rosto salientes, ela parecia uma loba — uma loba fascinante. […] Imaginei que, se voltasse a vê‑la, iria me apaixonar por ela».  
«Há homens que nem em dez anos me esqueceram», admitiu ela. «Há o poeta americano que ameaçou suicidar‑se porque eu não correspondia…». O tradutor Gregory Rabassa relembrou ter ficado «estupefacto por conhecer aquela pessoa rara que se parecia com Marlene Dietrich e que escrevia como Virginia Woolf». 



























"Porquê Este Mundo" relançou nos EUA e em muitos outros países o interesse pela obra da autora de "Perto do Coração Selvagem". A biografia levou Benjamin Moser a investigar a vida de Clarice em três continentes, consultar manuscritos inéditos e realizar dezenas de entrevistas. Pode assim mostrar que a obra de Lispector tinha relações estreitas com a sua agitada vida, a história do século XX e as tradições judaicas da família. Nascida em 1920, numa Ucrânia devastada pela Primeira Guerra Mundial e a Revolução Bolchevique, com a família forçada à emigração pelos pogroms que violentaram a mãe e arruinaram o pai, Clarice Lispector tornou-se no Brasil uma mulher cujos talento literário, beleza e originalidade intrigaram muitos escritores e artistas. Acompanhando Lispector desde Tchechelnik até ao Recife, depois ao Rio de Janeiro e mais tarde, como esposa de diplomata, a Nápoles, Berna e Washington, até ao regresso definitivo ao Rio de Janeiro, esta biografia mostra como Clarice transformara as suas lutas de mulher numa arte de carácter universal. 

In: FNAC 

quarta-feira, 14 de março de 2018

TSF 30 anos


Miguel Monteiro pertenceu ao grupo de jovens que fizeram o primeiro curso da Rádio Jornal, em 1987, antes do arranque das emissões regulares no dia 29 de Fevereiro de 1988.
A TSF começou com um pequeno grupo de veteranos da Rádio e um grande grupo de jovens radialistas, alguns deles destacando-se muito rapidamente.
Miguel Monteiro foi outra das grandes figuras nos primeiros anos da TSF. Um jovem editor criativo, inovador, muito influenciado pela "escola Sena Santos", do qual foi um dos principais discípulos. O jornal das 13:00 foi, durante algum tempo, uma marca sua na Rádio.
Depois da euforia radiofónica, em que fez edição e reportagem, Miguel Monteiro rumou, juntamente com o director Emídio Rangel, à bem sucedida aventura da primeira Televisão privada em Portugal.



terça-feira, 13 de março de 2018

TSF 30 anos

















Foi dele o primeiro noticiário da TSF, no arranque das emissões regulares, ainda ilegais, na manhã de segunda-feira, 29 de Fevereiro de 1988. “Paz no fisco durante três meses”, foi a primeira linha do noticiário transmitido na frequência 102.7 FM, em Lisboa.
Em estúdio com Francisco Sena Santos estavam em directo, para além do animador António Macedo, os jornalistas Fernando Oliveira e Luís Marinho. 
Francisco Sena Santos trocou uma carreira – nunca iniciada – na medicina pelo jornalismo. Estava na Antena1 quando abraçou o projecto, ainda pirata, da TSF. Rapidamente se tornou numa referência do jornalismo radiofónico, com a sua inesgotável energia, o entusiasmo que transbordava, num estilo único e muito próprio. Um Guro, que teve – e tem – seguidores. 
Em 1990 saiu da TSF para ingressar nas manhã da Antena1, regressando depois à TSF em 1993 para, em 1995, sair definitivamente da Rádio Jornal para editar, novamente de manhã e com um cargo na direcção de informação, na Antena1. Este ping pong entre a TSF e o principal canal da Rádio Pública terminou em 2004, com a sua saída repentina da Rádio e publicamente pouco explicada. 

Um Dia no Mundo 
Passaram treze anos, até ao seu mais recente regresso à Antena1, agora na qualidade de cronista diário, de segunda a sexta-feira, antes das oito e meia da manhã. Desde o passado dia 11 de Setembro, aquando o recomeço da grelha de programação.
É, até agora, o grande acontecimento da Rádio portuguesa na presente temporada. Sabe a pouco, os ouvintes queriam mais, mas é muito pouco provável que Francisco Sena Santos volte a liderar a equipa da manhã no principal canal da Rádio Pública. 

segunda-feira, 12 de março de 2018

Hoje na RADAR

























Na última semana os ingleses Slowdive actuaram em Portugal e o programa «Álbum de Família» dedica-se ao disco editado pela banda em 1995. 
A formação de Neil Halstead atravessou um hiato de quase duas décadas até ao regresso em grupo no ano 2014 e mais de vinte anos até novo álbum, editado em 2017. 
Pelo meio houve outras experiências, como o interessante projecto Mojave 3, que também em tempos visitou Portugal, no Festival Carviçais Rock, ano 2000. 
Hoje à noite, passagem na íntegra do álbum «Pygmalion», com a devida contextualização da realizadora e apresentadora Joana Bernardo. 

2ª feira às 23:00 

domingo, 11 de março de 2018

Boas canções novas que não passam na Rádio


SunKing – "Para Um Anormal



Lola Lola – "Voodoo Man




Birds Are Indie – "Come Into the Water



Joana Espadinha – "Leva-me a Dançar



sábado, 10 de março de 2018

Hoje em LISBOA







































No âmbito da parceria entre a Metropolitana e a Orquesta y Coro RTVE, quatro elementos da orquestra espanhola apresentam-se em Lisboa com três quartetos de cordas que esbatem fronteiras. O programa reúne obras de músicos tão distintos como Gaspar Cassadó, Luís de Freitas Branco e Antonín Dvořák. 
Como se depois de uma grande viagem, uma panóplia de experiências dispersas convergisse num discurso único a quatro «vozes» – dois violinos, uma viola d’arco e um violoncelo. 

sexta-feira, 9 de março de 2018

Hoje no BARREIRO

Há pessoas da Rádio envolvidas neste Teatro e já vão na segunda geração. Gente da Rádio no Teatro é uma coisa que me agrada imenso, principalmente pessoas da minha primeira Rádio no Teatro Municipal desta cidade.
A peça «O Inspector» estreou no dia 24 de Novembro e encontra-se ainda em cena, nas noites de sexta-feira e Sábado.

Teatro Municipal do Barreiro
Sexta e Sábado às 21:30

O Inspector estreou a 19 de abril de 1836, em São Petersburgo, então capital do império russo, na presença do czar, que terá comentado: “Que peça! Todos levam por tabela, e eu em primeiro lugar!”
Numa cidade de província, perdida nos confins da Rússia, o governador local recebe uma carta a avisá-lo da chegada iminente de um inspector, vindo da capital, e que viaja incógnito, com instruções secretas.
Eis o detonador da comédia, que Vladimir Nabokov qualificou como “a maior peça de teatro jamais escrita em russo (e nunca superada)”.
O governador convoca os seus subordinados. O medo instala-se: a chegada do inspector ameaça pôr a descoberto os pequenos arranjos, cumplicidades e trapaças, desleixos e violências, em suma, a ordem reinante.
Impressiona a actualidade desta comédia. Muitos diálogos parecem ter sido escritos hoje. Aliás, um passeio pela internet permite constatar como El Inspector General, Le Revizor, The Government Inspector, Der Revisor, etc. continua a ser representado por esse mundo fora indiferente às polémicas sobre a sua natureza. 
Este espectáculo é dedicado ao nosso querido Eugénio Silva. 

Comédia de Nikolai Gógol. Encenação de Jorge Cardoso.
Público-alvo: M/12
Ingressos entre 3,00 € e 5,00 €
Reservas: arteviva.reservas@gmail.com e/ou 910 093 886
Promotor: ARTEVIVA – Companhia de Teatro do Barreiro

Na passagem do 20º aniversário da inauguração do Teatro Municipal do Barreiro, escolhemos um texto com influência decisiva na história do teatro e por muitos considerado um clássico. É a nossa 75ª produção. 







































Ficha Artística e Técnica
O INSPECTOR

Interpretação: 
Alexandre Antunes, Carla Carreiro Mendes, Catarina Santana, Gonçalo Cardoso, Henrique Gomes, Hugo Pires, João Parreira, Manuel Alpalhão, Manuela Ramos Félix, Patrocínia Cristóvão, Ricardo Guerreiro, Rui Félix, Rui Martins, Rui Quintas, Vanda Robalo e Vítor Nuno
Autor: Nikolai Gógol | Tradução: Orlando Neves | Encenação: Jorge Cardoso | Ass. Encenação: Catarina Santana | Cenografia: João Pimenta | Figurinos: Ana Pimpista | Música: Miguel Félix | Construção de Cenário: António Santinho | Apoio aos Figurinos: Oficina de Costura Criativa e O Dedal | Apoio Caracterização: Manuela Ramos Félix | Luminotecnia: João Oliveira Júnior | Operação Técnica: Maria Inês Santos | Design Gráfico: João Pimenta | Produção Executiva: Catarina Santana | Fotografia: Cláudio Ferreira | Apoio Geral: João Henrique Oliveira. 

quinta-feira, 8 de março de 2018

TSF 30 anos

Foi ele o primeiro animador da TSF na emissão de arranque, na manhã de segunda-feira, 29 de Fevereiro de 1988. Às sete horas da manhã disse as horas e lançou o primeiro editor da Rádio Jornal, Francisco Sena Santos.
Não muito tempo depois desse dia inaugural, e já sem Sena Santos na TSF, António Macedo concedeu esta entrevista aos também radialistas Pedro Rolo Duarte e João Gobern, da estação vizinha Correio da Manhã Rádio. A conversa ocorreu no estúdio de emissão da TSF, na Torre 2 das Amoreiras, em Lisboa.
António Macedo esteve nas manhãs da TSF de Fevereiro de 1988 a Junho de 1992. Ocasionalmente, sempre que necessário, alternava as manhãs com as tardes, em troca directa com o animador João Pedro Galveias. Também era pivot das emissões desportivas ao Domingo à tarde.
Após um ano sabático, regressou às manhãs da TSF em Setembro de 1993, onde ficou até Agosto de 1996.
Era conhecido pelo epíteto "Animal da Rádio», uma das grandes figuras nos primeiros anos da história de três décadas da TSF.

































quarta-feira, 7 de março de 2018

Hoje em LISBOA







































07 de março, 08:45
Sophia de Mello Breyner Andresen (1969), de João César Monteiro
Farpões Baldios (2017), de Marta Mateus (com a presença da realizadora)

13 de março, 14:30
Ruínas (2009), de Manuel Mozos

21 de março, 10:15
48 (2009), de Susana Sousa Dias

21 de março, 16:15
E Agora? Lembra-me (2013), de Joaquim Pinto 

Neste mês de Março, a encerrar o 2º período de aulas, o Cineclube Edgar Sardinha e a disciplina de Português associam-se, programando um conjunto de documentários portugueses que exploram o uso da palavra dita, nas mais variadas formas. Seja num tom prosaico ou poético, na primeira pessoa do singular ou do plural, como forma de combater o esquecimento ou de se impor à urgência do presente, esta será uma oportunidade única para ver e rever obras extraordinárias da nossa cinematografia.
No mês da palavra, o Cinema Ideal oferecerá convites para obras em estreia relacionadas com a temática. Contamos também com o apoio da editora Sistema Solar | Documenta, traduzido na oferta de livros relacionados com Cinema que, futuramente, ficarão disponíveis na Biblioteca Escolar. Como é já habitual, as projecções com qualidade de excelência serão asseguradas pela Bazar do Vídeo, e contaremos com o apoio da Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema e do Plano Nacional de Cinema. A programação deste mês não seria possível sem a generosidade dos realizadores, bem como dos respectivos produtores e distribuidores. A todos prestamos pública homenagem!