quinta-feira, 30 de abril de 2015

Hoje e amanhã em COIMBRA
































Largo do Poço nª 3, Coimbra, Portugal
14h00: Zeca Afonso, sabes quem é? Workshop de música e teatro
Vânia Couto

Local: Largo da Fornalhinha
Neste workshop descobrirás quem é Zeca Afonso a partir de um livro que ilustra a canção ‘O homem da Gaita’.

15h15: Oficina de construção de instrumentos musicais
Álvaro Rosso
Local: Largo do Poço
Vem construir um instrumento musical e usa-o para cantares os Parabéns ao JACC!

16h15: Contra Contos
Álvaro Rosso e Simone Andrade
Local: Largo do Poço
Sessão de contos ao som do Contrabaixo.

17h00: Concerto para olhos vendados
Luís Antero
Local: Largo da Fornalhinha

Partindo da premissa de que muitas vezes paramos para ver, mas raramente o fazemos para ouvir, o público é convidado a vendar os olhos, deixando que outros sentidos se despertem. 

Inscrição gratuita mas obrigatória, através do email servicoeducativo.jacc@gmail.com
ou pelo telefone 239 83 70 78.

terça-feira, 28 de abril de 2015

Hoje no PORTO
































Quais as tendências recentes da democracia europeia, qual a responsabilidade social dos media em Portugal e nos processos de resolução de crises, são algumas das questões que se pretende debater na Universidade do Porto, no Polo de Ciências de Comunicação, Anfiteatro da UPTEC PING. 
Praça Coronel Pacheco, 24050-453 Porto. 
A entrada é livre. 

domingo, 26 de abril de 2015

Hoje na Antena3

A Antena3 completa hoje vinte e um anos e tem uma programação especial ao longo das 24 horas deste Domingo.
































10H-12H / 22H-24H
Nuno Calado em estúdio com Ana Cristina Ferrão e o realizador Eduardo Morais. 
Conversa sobre o documentário «Uivo». Apresentação da versão radiofónica do documentário. 

Um Festival Imaginado
Ver programa completo aqui 

sábado, 25 de abril de 2015

A Rádio saiu à rua num dia assim

































Fotografia de Jorge Da Silva Horta, em Lisboa, no dia 25 de Abril de 1974.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

BIStles
















Os Beatles não Acabaram II

Houve um bis na emissão especial de Luís Marinho e Luís Pinheiro de Almeida.
Uma espécie de ‘remake’, em duas partes, do saudoso programa «Amigos de Alex» que a dupla de radialistas realizou no FM da Rádio Renascença a partir do ano de 1985.
Nesta inesperada segunda parte, encontra-se uma pouco conhecida – e muito surpreendente – versão da canção “Yesterday”, na voz de uma famosíssima cantora portuguesa.

Ouvir emissão «Os Beatles não Acabaram» (2ª parte) aqui 













quinta-feira, 23 de abril de 2015

Hoje na Rádio Pública










A Brigada Victor Jara celebra 40 anos de actividade ao vivo no programa «Viva a Música», de Armando Carvalheda, na Antena1.
Transmissão em directo entre as 15:00 e as 16:00, com entrada livre no Teatro da Luz, em Lisboa.

















quarta-feira, 22 de abril de 2015

Auf Wiedersehen Lissabon
















Alinhamento do concerto dos KRAFTWERK na passada noite de Domingo, no Coliseu dos Recreios em Lisboa:

Numbers
Computer World
Home Computer
Computer Love
The Man Machine
Spacelab
The Model
Neon Lights
Autobahn (versão completa)
Airwaves
Intermission
News
Radioactivity
Ohm Sweet Ohm
Electric Café
Tour de France 1983
Tour de France 2003
Chrono
Trans-Europe Express
Abzug
Metal on Metal

Encore 1:
The Robots

Encore 2:
Aero Dynamik
Planet of Visions
Boing Boom Tschak
Techno Pop
Music Non Stop




































Há um álbum dos alemães Kraftwerk que é dedicado à Rádio. «Radioactivity» utiliza a duplicidade do termo para, não só debruçar-se sobre o mundo da Rádio, mas também sobre os perigos da radioactividade.
Editado em Outubro de 1975, está quase a completar quatro décadas. Inclui os clássicos da música electrónica “Radioactivity” e “Antenna”.
Vários temas deste trabalho foram recriados em palco nesta segunda passagem do quarteto de Düsseldorf pela capital portuguesa.
Infelizmente, há muito que não conhecem passagem nas nossas airwaves.


.-. .- -.. .. --- .- -.-. - .. ...- .. - -..--
Radioactivity

Radioactivity
Is in the air for you and me
Radioactivity
Discovered by Madame Curie
Radioactivity
Tune in to the melody
Radioactivity
Is in the air for you and me

Morse Code:
.-. .- -.. .. --- .- -.-. - .. ...- .. - -..--
Radioactivity .. ... / .. -. / - .... . / .- .. .-. / ..-. --- .-. / -.-- --- ..- / .- -. -.. / -- .
Is in the air for you and me .-. .- -.. .. --- .- -.-. - .. ...- .. - -..--
Radioactivity -.. .. ... -.-. --- ...- . .-. . -.. / -... -.-- / -- .- -.. .- -- . / -.-. ..- .-. .. .
discovered by Madame Curie .-. .- -.. .. --- .- -.-. - .. ...- .. - -..--
Radioactivity - ..- -. . / .. -. / - --- / - .... . / .-.-.- .-.-.- .-.-.- -.- .-. .- ..-. - .-- . .-. -.-
tune in to the ...Kraftwerk
Radio Aktivitat
Fur dich und mich in All entsteht
(For you and me in space comes into being)
Radio Aktivitat
Strahlt Wellen zum Empfangsgerat
(Sends waves to receiver)
Radio Aktivitat
Wenn's um unsere zukunft geht
(When it's about our future)
Radio Aktivitat
Fur dich und mich in All entsteht
(For you and me in space comes into being)

Morse Code:
.-. .- -.. .. --- .- -.-. - .. ...- .. - -..--
Radioactivity .. ... / .. -. / - .... . / .- .. .-. / ..-. --- .-. / -.-- --- ..- / .- -. -.. / -- .
Is in the air for you and me .-. .- -.. .. --- .- -.-. - .. ...- .. - -..--
Radioactivity -.. .. ... -.-. --- ...- . .-. . -.. / -... -.-- / -- .- -.. .- -- . / -.-. ..- .-. .. .
Discovered by Madame Curie .-. .- -.. .. --- .- -.-. - .. ...- .. - -..--
Radioactivity - ..- -. . / .. -. / - --- / - .... . / .-.-.- .-.-.- .-.-.- -.- .-. .- ..-. - .-- . .-. -.-
tune in to the ...Kraftwerk
Radioactivity
Is in the air for you and me
Radioactivity
Discovered by Madame Curie
Radioactivity
Tune in to the melody
Radioactivity
Is in the air for you and me
Radioactivity
Is in the air for you and me 
























I'm the Antenna
Catching vibration
You're the transmitter
Give information!
Wir richten Antennen ins Firmament
Empfangen die Tne die niemand kennt
I'm the transmitter
I give information
You're the antenna
Catching vibration
Es strahlen die Sender Bild, Ton und Wort
Elektromagnetisch an jeden Ort
I'm the Antenna
Catching vibration
You're the transmitter
Give information!
Radio-Sender und Hrer sind wir
Spielen im ther das Wellenklavier
I'm the antenna catching vibration
You're the transmitter give information
I'm the transmitter I give information
You're the antenna catching vibration

terça-feira, 21 de abril de 2015

Hoje em LISBOA



segunda-feira, 20 de abril de 2015

Prémio RÁDIO


















Adelino Gomes recebe hoje, na Sociedade Portuguesa de Autores, em Lisboa, o Prémio Igrejas Caeiro, que distingue carreiras na Rádio.
Entrevista na Antena1. Ouvir aqui

domingo, 19 de abril de 2015

A LUGAR COMUM apresenta:



sábado, 18 de abril de 2015

Hoje no Mundo

(... ou numa grande parte dele)
















O dia das lojas de discos celebra-se desde 2008.

Hoje em COIMBRA














Largo do Poço, 3, Coimbra 

Oficina teórico-prática de iniciação a gravações sonoras de campo. A uma breve apresentação teórica sobre o tema das paisagens sonoras segue-se a experimentação prática da técnica de gravação sonora, a partir de quatro fases distintas e complementares: do escutar ao editar. 

OBJECTIVOS:

Aprender: Enquadramento Teórico (notas históricas sobre 
gravações sonoras de campo/paisagens sonoras e principais nomes ligados a este universo);

Escutar: O Objecto Sonoro e o (seu) Espaço (passeio sonoro pela zona de intervenção da oficina; escuta criativa; análise sonora para posterior gravação);

Gravar: Técnicas de Gravação (noções práticas de gravação, incluindo gravação binaural, close miking, facilidades e dificuldades no processo de gravação sonora de campo, etc. e trabalho de campo (gravação);

Editar: Técnicas de Edição Sonora (com recurso a software livre de edição sonora, fornecem-se as técnicas básicas para a edição dos sons gravados). 

Público-alvo: crianças a partir dos 6 anos de idade, famílias, público em geral.

Máximo de Participantes: 6
Duração: 90 minutos

PREÇOS
Adulto: 9 €
Estudantes ou maiores de 65: 7 €
Adulto + criança: 12 €
Familiares extra (crianças ou adultos): 3 €

Observações: Os participantes, querendo, podem vir munidos dos seus próprios auscultadores e equipamento sonoro, caso tenham (gravadores digitais, mini-disc, smarthphones com gravador de som incorporado; walkman, gravador, etc). 

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Hoje em LISBOA

































Um casal de classe média alta prepara-se para sair, numa noite calma. Toca a campainha. Do outro lado alguém quer entrar e o inesperado acontece. Esta vai ser uma noite diferente de todas as outras, tanto para o casal, como para o assaltante. Uma comédia hilariante em que se confunde a vítima com o carrasco.

Até 19 de Abril
Sexta e Sábado às 21h30 | Domingo às 17h

Reservas:
E-mail: geral@teatroturim.com
Telefone: 21 760 66 66

TEATRO TURIM – Estrada de Benfica nº 723, 1500 Lisboa.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Hoje em COIMBRA



quarta-feira, 15 de abril de 2015

Lady in Radio






















No dia em que Billie Holiday completaria um século de vida, o programa «Jazz a 2» dedicou a maior parte da sua emissão de há uma semana (e um dia) ao penúltimo disco gravado por Lady Day, em 1958.
A cantora norte-americana, que Frank Sinatra descreveu como “a melhor cantora de sempre”, morreria no ano seguinte, sendo «Lady in Satin» o último álbum em nome próprio que Billie Holiday conheceu ainda em vida.
De toda a discografia de Lady Day, é deste disco que mais temas passei na Rádio nos últimos dezoito anos.
É, para muitos, a melhor gravação de sempre de Billie Holiday, apesar da sua voz já apresentar sinais evidentes de degradação. Mas a emotividade com que interpreta um reportório por si nunca antes gravado transmite uma autenticidade e humanidade marcantes.
O programa «Jazz a 2» disponibiliza para escuta posterior na Internet as emissões diárias. Todavia, esta emissão em concreto, não está, incompreensivelmente, disponível.
Deveria estar, mas não está. Do programa de dia 6 de Abril salta-se, estranhamente, para dia 8 de Abril.
A que se deve tal omissão?

Foi no passado dia 7 e deveria poder-se ouvir aqui 

terça-feira, 14 de abril de 2015

Hoje em PARIS



segunda-feira, 13 de abril de 2015

Noites de Luar





















Antena1 1984

Aníbal Cabrita aos comandos do programa «Noites de Luar» na Antena1, em 1984, aquando da edição do álbum «The Wonderful and Frightening World of the Fall», dos The Fall.
São pouco mais de vinte minutos, com a parte final do programa, na rubrica «Quarto Minguante», onde é divulgada a equipa: Helena Pinto, António Pereira, José Bragança de Miranda, Jorge Dias de Deus, Alberto Pimenta, Pereira da Costa, Maria Emília Correia e Ricardo Saló.
Um extracto de um programa que ficou para a História da Rádio portuguesa, obtido através da transmissão do ‘Ar’, numa velha cassete caseira.

Ouvir parte do programa aqui

domingo, 12 de abril de 2015

Hoje na Antena1



















55 anos depois da separação da banda a Antena 1 recorda a influência dos Beatles na Música, na Moda e na Sociedade.

Os Beatles Não Acabaram
Programa de Luís Marinho e Luís Pinheiro de Almeida.
A mesma dupla de radialistas que há trinta anos inauguraram o programa «Amigos de Alex» no FM da Rádio Renascença.

Ouvir aqui 

sábado, 11 de abril de 2015

Última apresentação

































Tem hoje lugar na Sociedade Musical União Paredense, na Parede, a última exibição do documentário «UIVO» sobre António Sérgio, após dezenas de exibições públicas por todo o país, desde a estreia em Novembro do ano passado.
O livro [+ DVD] «O Uivo da Matilha» continua esgotado.

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Ocidental Praia











Renascença FM, em 1985

Programa de Rui Pego no FM da emissora católica, onde era dado destaque a novas bandas e artistas portugueses.
Neste pequeno fragmento de emissão a apresentação é feita por outro animador, não identificado (se alguém puder ajudar…).
Gravação obtida a partir do ‘Ar’ na emissão em directo, registada artesanalmente em cassete, numa sexta-feira, dia 12 de Abril de 1985. Está agora a fazer três décadas.

Ouvir parte do programa aqui 

A Rádio Renascença completa hoje 78 anos.

quinta-feira, 9 de abril de 2015

IF 31

















Um amor que acaba, prova que nunca chegou sequer a existir.

Edição comemorativa do trigésimo primeiro aniversário do programa «Íntima Fracção», de Francisco Amaral.
Ouvir aqui 

Hoje em CASCAIS



quarta-feira, 8 de abril de 2015

Em Órbita 50 anos

01 de Abril 1965 - 2015



















No dia 1 de Abril, às 19:14 começava a primeira emissão do programa «Em órbita», no FM do Rádio Clube Português.
Pedro Castelo foi a primeira voz do programa, “Kind of Girl”, dos Zombies, a primeira canção.
Pedro Castelo esteve no programa até ao dia 1 de Abril de 1966, rumando depois para a Rádio Renascença.
Cândido Mota foi o segundo locutor.
Meio-século após a emissão inaugural, a Antena1 dedicou uma emissão especial de duas horas, no passado dia 1 deste mês. Há exactamente uma semana.
Mês, dia e hora exactamente iguais, ao fim de cinco décadas, alguns dos fundadores estiveram presentes em directo no programa evocativo, moderado por António Macedo.
Pedro Albergaria, Pedro Castelo e Cândido Mota foram os convidados em estúdio. Jorge Gil declinou o convite e um dos técnicos, José Ribeiro, participou por telefone, também em directo.

Especial 50 anos de «Em órbita» na Antena1 (01.Abril.2015)
Ouvir em duas partes aqui

O primeiro indicativo do «Em órbita»:
The Kinks – “Revenge


O primeiro tema a passar no «Em Órbita»:
The Zombies – “Kind of Girl



Apontado por muitos como o melhor programa de sempre da Rádio Portuguesa, o programa «Em órbita» conheceu várias fases, que foram descritas em dois artigos publicados anteriormente aqui na «Rádio Crítica»:

EM ÓRBITA
O MELHOR DE TODOS?
03 de Março de 2006 














Em Órbita (1965 - 2010)
O MELHOR DE TODOS? 
01 de Abril de 2010













Outros artigos sobre o programa «Em Órbita»:

"Em Órbita" faz 35 anos
Artigo do jornalista Luís Pinheiro de Almeida
PÚBLICO, 01 de Abril 2000

Evocando o programa "Em Órbita"
Blogue «A Nossa Rádio»
01 Abril 2015

O primeiro (e único!) tema cantado em português no programa «Em Órbita»:
Quarteto 1111 – “A Lenda de El Rei D. Sebastião


O Quarteto 1111 no «Em Órbita» 

































Texto lido por Cândido Mota: 

Em Órbita vai proceder hoje à transmissão de um trecho de música popular portuguesa. Porque se trata de uma medida sem precedentes neste programa, e por termos o maior respeito pela nossa própria coerência e por todos quantos nos acompanham com a sua adesão consciente e construtiva, tem pleno cabimento algumas palavras introdutórias ao trecho que vamos apresentar. Desde sempre que alguns dos mais conhecidos intérpretes e conjuntos portugueses de música ligeira nos têm procurado, seguindo modalidades várias de aproximação no sentido de Em Órbita divulgar as suas respectivas realizações, em amostra, em disco ou em registo magnético. Em face dessas sucessivas tentativas, sempre nos recusámos em elas aludir, por considerarmos que a totalidade dessas realizações não justificava o nosso interesse em abrir excepções, quer por entendermos que a sua transmissão iria ocupar tempo que poderia ser preenchido com larga vantagem pela nossa música habitual, quer por considerarmos que nenhuma delas reunia as condições mínimas para poder representar qualquer coisa de semelhante a uma tentativa honesta e inédita do lançamento das bases da música popular portuguesa que todos nós em boa consciência queremos renovada por inteiro de alto a baixo. 
Por varias vezes e sob diversos pretextos temos aqui exprimido alto e bom som que somente transmitiríamos qualquer modalidade de música popular portuguesa que tivesse um mínimo daqueles requisitos que poderemos condensar assim: 

1 ° - Autenticidade aferida em função do ambiente e da sociedade portuguesa e da tradição folclórica do nosso país. 
2° - Afastamento radical da utilização puramente oportunista de padrões internacionais e pseudo internacionais, impossíveis de transpor com verdadeira honestidade para o nosso meio. 
3° - Rompimento frontal com as formas de música popular comercial mais divulgadas em Portugal e que se caracterizam pela teimosa insistência em seguir os figurinos caducos e provincianos de Aranda do Douro, San Remo ou Benidorm. 
4° - Demonstração de um poder criador e interpretativo que ultrapassasse de forma a não deixar dúvidas, apelando a uma imitação grotesca que se faz no estrangeiro, quer na forma de copiar pura e simples, quer na de adaptações apressadas, quer na utilização de uma língua, de um estilo ou de um som de importação, tudo defeituosamente assimilado. 

Estes portanto os requisitos mínimos que sempre exigimos a nós próprios e aos que nos procuraram com pedidos de transmissão. Nunca nos limitámos porém a uma recusa seca é peremptória. Os nossos pontos de vista sempre os exprimimos desenvolvidamente em particular e em público. 
Os que nos ouvem com regularidade, devem recordar-se do que aqui foi dito sobre este mesmo tema no ano passado. As nossas sugestões sobre os caminhos a seguir na nossa opinião ficaram então bem claras. Recordemos algumas delas: 
Recurso ao folclore português nas suas múltiplas variedades e manifestações. 
A ligação intima à realidade portuguesa nos seus mil e um aspectos e facetas. 
Recurso à poesia portuguesa popular ou erudita, medieval, clássica ou contemporânea. 
O aproveitamento das formas melódicas e rítmicas da musica popular portuguesa, ainda não adulterada. 
A revisão total dos temas e respectiva forma de expressão com base na construção lírica dos poetas da literatura portuguesa, do Cancioneiro Geral de Garcia de Resende aos poetas da actual geração de Coimbra. Sem preocupações de síntese, estas são algumas das formas possíveis no nosso entender de encarreirar a música popular portuguesa para alguma coisa de novo, de verdadeiro e de autêntico. Há anos que vimos proclamando. Nunca ninguém demonstrou ou procurou demonstrar que no plano dos princípios e em concreto, estávamos errados. 
Posto isto temos, temos para nós, que o trecho que vamos hoje apresentar, preenche os requisitos mínimos para a sua divulgação por este programa com todas as implicações que a sua transmissão através de Em Órbita acarretam.
Tendo por título A Lenda del Rey D. Sebastião, é escrito por um português é tocado e cantado por portugueses. Não vamos fazer uma apreciação exaustiva desta gravação, das suas qualidades que são muitas, e dos seus defeitos que terá alguns. 
Vamos apenas apontar o que nela se nos afigura existir de importante e de novo. Assim é desde logo um apontamento especial sobre os aspectos puramente interpretativos, instrumentais e vocais, e num período em que neste programa se dá cada vez mais importância aos criadores e cada vez menos aos intérpretes, a gravação que vamos apresentar tem qualidade interpretativa mais do que suficiente, e uma nota que sobressai com rara evidência. 
O que neste trecho impressiona mais, o que nele se inclui de mais nitidamente inédito, é que em cima de uma melodia de encantadora simplicidade, há uma história singela, popular, portuguesa, dita em versos precisos, directos, certeiros, desenfeitados. Conta-se uma história, uma lenda. Como lenda que é trazida até hoje pela herança popular, pertence ao folclore, ao património mais íntimo da comunidade e dos costumes do nosso país.
Depois, é um tema eterno, de criação nacional e de validade perene e universal. É um Sebastianismo colectivo que na lenda se retrata. 

É a ideologia negativista dos que têm uma crença irracional em coisas, em valores e em poderes que não existem, dos que se deixam enganar pelos falsos Messias do oportunismo e da mistificação. A lenda del Rey D. Sebastião, escreveu José Cid, é o Quarteto 1111. 

terça-feira, 7 de abril de 2015

Centenário de Lady Day













Hoje a Rádio assinala o centenário de nascimento da cantora norte-americana Billie Holiday.
Passei temas cantados por Billie Holiday em todas as rádios onde trabalhei, excepto numa. Ainda hoje o faço e há anos dediquei duas emissões especiais a Lady Day.
Não posso perfilhar Billie Holiday como a minha cantora preferida para transmitir na Rádio. Seria uma injustiça para uma quantidade imensa de vozes femininas que, tal como Holiday, são da minha preferência: Ella Fitzgerald, Nina Simone, Sarah Vaughan, Dinah Washington, Julie London, Jo Stafford, Timi Yuro, Brenda Lee, Connie Francis, Leslie Gore, Patsy Cline, Joan Baez, Julie Driscoll, Grace Slick, Janis Joplin, Sandy Denny, Maddy Pior, June Tabor, Joni Mitchell, Annette Peacock, Meredith Monk, Kristin Hersh, Suzanne Vega, Mimi Goese, Elizabeth Fraser ou Lisa Gerrard.
Mas Billie Holiday foi, certamente até hoje, a cantora que mais vezes passei na Rádio. E continua a ser.

Especial Billie Holiday na RSS (1992) + reedição em 1995
Ouvir aqui

Especial Billie Holiday na TSF (2001)
Ouvir aqui 


segunda-feira, 6 de abril de 2015

Ultra-Som












FM da Rádio Renascença, em 1985 

Um curto registo gravado em cassete a partir da emissão em directo do ‘Ar’. O programa «Ultra-Som», de Amílcar Fidélis, ao início das noites de Domingo, das 20:00 às 21:00.
Nessa altura a Rádio Renascença transmitia em Onda Média (OM) e Frequência Modulada (FM) com programação distinta, mas não durante 24 horas por dia.
A diferenciação das emissões de OM e FM aconteceu em definitivo no dia 1 de Janeiro de 1987, com a transformação do canal Renascença FM em RFM, cujas siglas significam precisamente Renascença FM, então denominado de “O outro canal da Renascença”.
Na grelha inaugural da RFM fazia pazia parte o programa «A Ilha dos Encantos», também da autoria de Amílcar Fidélis, o qual já foi anteriormente reflectido aqui na «Rádio Crítica».
Fica para audição, e com o som possível, uma pequena memória do tempo anterior à RFM, há três décadas com sons das novidades da música alternativa daquele momento: Durutti Column, The Wake e Suzanne Vega.

Ouvir parte do programa  aqui 

The Durutti Column – "Tomorrow" (1985): 



quinta-feira, 2 de abril de 2015

Rádio criativa






















Open Call aberto a todos os interessados em apresentar propostas de carácter artístico e experimental passíveis de ser apresentados em formato rádio. Serão valorizados projectos que explorem as relações, possibilidades e o potencial da rádio, conscientes das suas limitações e riquezas. A rádio não deve ser aqui encarada como um mero veículo de difusão mas sim um espaço físico e temporal, capaz de modelar a percepção e sensações do seu público. Concorram! 

Mais informações aqui 

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Hoje na RADAR





















Na semana em que a cantora e compositora norte-americana regressa a Portugal para concertos, o programa «Álbum de Família» recorda o primeiro disco profissional e homónimo de Joan Baez, editado em 1960.
Oportunidade para escutar a consagrada interprete Folk, no tempo anterior a assinar as suas próprias letras.

Álbum de Família
Realização e apresentação de Tiago Castro
RADAR
4ª feira às 14:00
Domingo às 12:00
2ª feira (da semana seguinte) às 23:00