domingo, 31 de janeiro de 2016

10 anos de Podcast














Neste mês completei uma década de actividade de podcaster. Entrei no novo formato digital de partilha sonora em Janeiro de 2005 através da crónica «Linhas Cruzadas», na altura inserida no programa de Rádio e também Podcast «Lado B», de Pedro Esteves. 
As «Linhas Cruzadas» estiveram no programa até Janeiro de 2009 ganhando, a partir de Fevereiro do mesmo ano, autonomia até aos dias de hoje. Chegaram à edição nº63 e vão continuar com novas edições em 2016. 
Também neste mês de Janeiro, no passado dia 21, terminou o contrato com a plataforma de distribuição dos ficheiros sonoros. As futuras edições serão publicadas com novo portal agregador de podcast.
Agradeço a todos os ouvintes que, durante uma década, acompanharam (com milhares de downloads) e ouviram as várias publicações inseridas no anterior portal onde, para além das crónicas «Linhas Cruzadas», foram também disponibilizados vários programas antigos de Rádio. 
Foi o que se verificou ao longo todo o ano passado, com publicação de emissões de programas que ficaram para a História da Rádio portuguesa, como por exemplo «Morrison Hotel», «Noites de Luar», «Amigos de Alex», «Ultra Som», «Ocidental Praia» e «Som da Frente». Igualmente em outros anos anteriores a 2015, com programas como «Íntima Fracção», «Uno» e «A Ilha dos Encantos», entre outros. 
Também alguns dos programas que no passado realizei para a Rádio conheceram aqui a sua estreia na Internet: «Os Dias da Rádio», «Crónicas Americanas», «Especial Patsy Cline», «Especial Billie Holiday», «Como no Cinema» ou «Pontos de Fuga». Foram trabalhos pela primeira vez disponibilizados nos formatos digitais de streaming e podcast
Para além das crónicas «Linhas Cruzadas», existiram ainda os podcasts sazonais «SummerDreams/Sonhos de Verão», exclusivamente concebidos para estes formatos digitais. 
Ao longo deste ano acontecerá aqui a continuação das crónicas «Linhas Cruzadas» [A Vida e a Arte do Encontro na Música] e o regresso das composições de Verão «Summer Dreams».
Acrescentar ainda a co-autoria dos podcasts temáticos do colectivo «Irmandade do Éter», iniciados em 2011. 
O Podcast na «Rádio Crítica» veio para ficar. 

sábado, 30 de janeiro de 2016

Hoje em LISBOA














JAY-JAY JOHANSON conhece Lisboa de trás para a frente, pisou-lhe toda a calçada e sempre soube que, deste lado, está um porto de abrigo. Em Janeiro regressa à cidade para mostrar, e pela primeira vez no país, “Opium”, o décimo disco de originais nos seus 20 anos de carreira.
Os THE CORRESPONDENTS são bem conhecidos do público do Musicbox, pois, no par de vezes que por cá aterraram, deixaram duas salas esgotadas, suadas e com um sorriso estampado.
Os LAVOISIER “transformam em arte” uma energia que é só deles, mas que é urgente descobrir. A visão da dupla sobre a tradição ultrapassa os conceitos e assume uma dinâmica própria, num movimento perpétuo – estabelecendo novos paradigmas e formas na música portuguesa. 
MIKE STELLAR, DJ, é Miguel belo, programador e parceiro na causa Musicbox desde o dia de abertura. A ele se deve o batismo do nosso palco com Kode 9 e ?uestlove em Dezembro de 2006 e tantas outras noites memoráveis desde então. A primeira festa é de cavalheiros.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

The Definitive Tribute



quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Starman. Hero. Genius.



quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

O homem que caiu no céu

Capa da revista BLITZ na próxima sexta-feira




terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Boas canções novas… que não passam na Rádio


Damien Jurado – "Exit 353"


The Besnard Lakes – "The Golden Lion"  


Cian Nugent – "Lost Your Way"  


Cross Record – "Steady Waves"  



segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Presidenciais na Rádio















FOTO: Marcos Borga

O Presidente da República agora eleito foi o único dos dez candidatos presidenciais a não estar presente no Forum TSF durante os períodos de pré-campanha e campanha eleitoral. No entanto esteve presente num debate, na Antena1, em conjunto com os restantes nove candidatos.
Curiosamente, o Professor começou a fazer comentários semanais na TSF, durante anos [O Exame de Marcelo Rebelo de Sousa], antes de se mudar para a Televisão, onde se tornou na incontornável figura pública nacional que é.
Ninguém pode ser obrigado a submeter-se a uma entrevista se não o desejar, ainda por cima com a participação em directo do público, mas talvez não fosse pedir muito que, após tomar posse em Março próximo, o novo Presidente desse a sua primeira entrevista à TSF.

domingo, 24 de janeiro de 2016

Boas canções novas… que não passam na Rádio


Eleanor Friedberger – "He Didn’t Mention His Mother"




Tindersticks & Lhasa de Sela – "Hey Lucinda"


Suede – "Outsiders"


Tortoise – "Gesceap"





sábado, 23 de janeiro de 2016

TEMPO | TIME | TEMPLO













O jornalismo está sempre ao lado do tempo que passa e o escritor está sempre ao lado do tempo que dura, que permanece. 
O jornalista está sempre ao lado do urgente e o escritor está com aquilo que é essencial. 
E um dos dramas da nossa existência é que o urgente não se ocupa nunca do essencial. 

Jean d'Ormesson

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

David Bowie DISCOGRAFIA



















David Bowie (1967)
Space Oddity (1969)
The Man Who Sold the World (1970)
Hunky Dory (1971)
The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars (1972)
Aladdin Sane (1973)
Pin Ups (1973)
Diamond Dogs (1974)
Young Americans (1975)
Station to Station (1976)
Low (1977)
"Heroes" (1977)
Lodger (1979)
Scary Monsters (And Super Creeps) (1980)
Let's Dance (1983)
Tonight (1984)
Never Let Me Down (1987)
Black Tie White Noise (1993)
Outside (1995)
Earthling (1997)
'Hours...' (1999)
Heathen (2002)
Reality (2003)
The Next Day (2013)
Blackstar (2016)



quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

David Bowie até quando?















A música de David Bowie ouvir-se-á na Rádio durante os próximos 50 anos, como se ouviu os Beatles no último meio-século, ou será mais um mito, como por exemplo Jimi Hendrix, Janis Joplin ou Elvis Presley, que não se ouve em nenhuma Rádio portuguesa?

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

David Bowie em Portugal

































Bowie actuou em Portugal duas vezes, ambas em Lisboa.
A primeira foi em Setembro de 1990, no Estádio José Alvalade (entretanto demolido).
A segunda em Julho de 1996, no passeio marítimo de Alcântara, no âmbito do festival Super Rock.
Esteve prevista uma terceira vinda de David Bowie a Portugal, em 2004 no Porto, mas a saúde não permitiu. A então digressão foi interrompida e nunca mais retomada. Bowie não voltaria a realizar mais nenhuma digressão em nome próprio o as suas aparições em palco foram muito poucas desde então, apenas como convidado.
Na semana da morte de Bowie, o canal público RTP-Memória transmitiu o concerto de Alvalade, mas só até ao minuto 42. Depois… a gravação encravou. Na Internet a transmissão estava interdita por motivos de direitos de autor. Então para que serve um serviço de transmissão na Internet se depois não se pode ver o que se quer?
Quanto ao concerto de 1996, nem uma imagem se viu. 
A Rádio esteve muito melhor que a TV na sequência de homenagens. 

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

David Bowie na Rádio






















Capa e contracapa do jornal francês Libération (12.Janeiro.2016) 

As homenagens começaram logo a serem feitas na manhã de segunda-feira dia 11, quando se soube da morte de Bowie. A Rádio portuguesa esteve bem, especialmente a RADAR e a Antena3, com emissões especiais dedicadas ao autor de «Blackstar».
Destaque para duas horas de emissão na RADAR, onde foi transmitido o programa especial que David Bowie fez na BBC Radio, em 1979, «Star Special», onde Bowie apresentou algumas das suas canções preferidas. Entre as cerca de três dezenas de escolhas pessoais, duas são do próprio autor, do disco «Lodger», então o seu mais recente.
Outras das escolhas recaíram em nomes como The Doors, John Lennon, Philip Glass, Velvet Underground, Talking Heads, Phil Spector, T-Rex, Rolling Stones, Roxy Music, Bruce Springsteen e Blondie.
Também na RADAR houve lugar à reposição de vários programas da série «Álbum de Família», realizados por Tiago Castro, dedicados a seis álbuns de David Bowie: «Hunky Dory», «The Rise & Fall of Ziggy Stardust And the Spiders From Mars», «Station to Station», «Low», «'heroes'» e «Scary Monsters (And Super Creeps)».
Na Antena3, espaços dedicados inteiramente a Bowie foram realizados por Nuno Calado no programa «Indiegente», Álvaro Costa em «A3C» e Mário Lopes com Quim Albergaria em «O Disco Disse».
Na Antena1, o programa «Costa a Costa» de Pedro Costa foi também dedicado ao autor de Ziggy Stardust. 
Bowie continua a ser uma presença regular na Rádio em Portugal. Quase sempre com as canções mais óbvias, mas está lá.
Bowie goza de um estatuto muito transversal nas escolhas radiofónicas e sempre foi detentor de uma legitimidade transgeracional que poucos artistas possuem nos dias actuais.
Há Bowie(s) para quase todos os gostos e vai continuar. 

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

David Bowie 1987

















Na década em que a música de David Bowie mais me marcou, haveria de aparecer apenas mais um disco dele que me deixou memórias, «Never Let Me Down», editado em 1987.
Embora eu já andasse com os ouvidos noutros ambientes bem distanciados do autor de “Starman”, ficaram deste álbum três temas para a posterioridade. Para além da canção que dá título ao disco, “Day-In Day-Out” e “Time Will Crawl”.


domingo, 17 de janeiro de 2016

David Bowie 1986






















Um um filme, um musical e um mais clássico dos anos 80.
Bowie, para além de cantar o tema título, também fez parte do elenco da película realizada por Julien Temple.
O filme «Absolute Beginners» foi estreado mundialmente no dia 18 de Abril de 1986.


sábado, 16 de janeiro de 2016

David Bowie 1985
































Capa do jornal METRO (12 de Janeiro 2016)

Foram muitas as parcerias de Bowie na década de 80. Queen, Mick Jagger, Tina Turner, entre outros. E esta, com o músico norte-americano Pat Metheny.
Não faz parte de nenhum álbum a solo de David Bowie. Foi editado em single e pertence à banda-sonora do filme «The Falcon and the Snowman», realizado por John Schlesinger.
Pop de antologia.


sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

David Bowie 1984
































Capa do Jornal de Notícias (12 de Janeiro 2016) 

O álbum «Tonight» foi, para mim, uma espécie de lado B do disco «Let’s Dance».
No coração dos anos 80, uma segunda face do álbum anterior, com notáveis versões de clássicos, como por exemplo “God Only Knows” de Brian Wilson com os Beach Boys, namoros Reggae com Tina Turner, no tema título de Iggy Pop e duas canções que ficaram para a história: a famosíssima “Blue Jean” e “Loving the Alien” (o single foi editado em Maio de 1985). 


quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

David Bowie 1983



































Capa Diário de Notícias (12 de Janeiro 2016)

No ano lectivo 1983/1984 a canção “Let’s Dance” foi eleita por mim, juntamente com alguns dos colegas de turma, como a melhor do ano. António Conceição, Luís Ratinho, Paulo Araújo, Paulo Candeias, Luís Frazoa, Paulo Miguel, Vanda Maria e Ana Rosa. Neste grupo, de que orgulhosamente fiz parte, Bowie ganhou por unanimidade. Em segundo lugar ficou António Variações com “É p'ra amanhã” e não faltaram comparações entre os dois artistas. Com as devidas diferenças óbvias de escala, ambos tinham em comum a inovação, a irreverência, o arrojo, o ultra-modernismo, o novo e a novidade.
Mas naquele período era a força solar de Bowie que dominava. A partir de então, ganhou a dimensão de estrela planetária.
Um tema irresistível que tocava em quase tudo o que era Rádio em Portugal que, na altura, ainda era muito pouco.



Put on your red shoes and dance the blues
Let's dance to the song 
They're playin' on the radio 

A partir daqui foi inevitável a procura da obra completa anterior de Bowie. A curiosidade era imensa e tudo o que foi descoberto das décadas de 60 e 70 ultrapassou as melhores expectativas.



Didn't know what time it was 
The lights were low oh how
I leaned back on my radio

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

David Bowie 1980
































Capa jornal Público (12 de Janeiro 2016)

Depois de “Heroes” em finais dos anos 70, voltei a ouvir Bowie na Rádio em 1980, com o tema “Ashes to Ashes”. Era viciante! (o vídeo foi gravado em 1983).
A entrada nos vibrantes e luminosos anos 80 através da minha janela para o Mundo na altura que era a Rádio. Sempre ela e, desde esta altura, sempre ele. 



Hoje em PORTUGAL



terça-feira, 12 de janeiro de 2016

David Bowie 1977
































Capa jornal i (12 de Janeiro 2016) 

Ouvi Bowie pela primeira vez na Rádio, algures em 1977 ou 1978, no tema “Heroes”.
Ouvi Bowie na Rádio durante muitos anos, antes de entrar para a Rádio. Passei música de David Bowie durante muitos anos em todas as estações de rádio onde trabalhei e, um dia, quando sair da Rádio, ele vai continuar a tocar lá durante muitos anos.


segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

B O W I E
















Fame itself… doesn’t really afford you anything more than a good seat in a restaurant.

I don’t know where I’m going from here but I promise it won’t be boring.

No more free steps to heaven.

Tomorrow belongs to those who can hear it coming.


David Robert Jones
Brixton, London - Manhattan, New York
08 Janeiro 1947 - 10 Janeiro 2016 

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

David Bowie






















B L A C K S T A R 

Alinhamento: 

1 – Blackstar
2 – ‘Tis A Pity She Was A Whore
3 – Lazarus
4 – Sue (Or In A Season Of Crime)
5 – Girl Loves Me
6 – Dollar Days
7 – I Can’t Give Everything Away

Na Rádio aqui


David Bowie completa hoje 69 anos de idade e edita o 25º álbum de originais, «Blackstar», numa carreira a solo que já leva meio-século.
Desde 1966 que é presença regular na Rádio.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Boas canções novas… que não passam na Rádio


Julia Holter – "Feel You"


Courtney Barnett – "Depreston



Unknown Mortal Orchestra – "Necessary Evil"



Gaz Coombs – "20/20" 


quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Hoje no Mundo



terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Boas canções novas… que não passam na Rádio


Low – "What Part of Me"


John Grant – "Down Here"



Olivia Chaney – "Blessed Instant"


Jim O’Rourke – "Last Year"


segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Planeta Terra, ano 2016