sábado, 30 de março de 2013

Fruta da época




















http://greenfieldrecordings.yolasite.com/

quinta-feira, 28 de março de 2013

Hoje em LISBOA

















Do antigo radialista Luís Filipe Barros, autor do programa «Rock em Stock» no FM-Estéreo da Rádio Comercial na década de 80.

segunda-feira, 25 de março de 2013

LINHAS CRUZADAS # 55

A Vida e a Arte do encontro na Música
Ben Watt
& Robert Wyatt 





















Ben Watt, músico britânico mais conhecido por ser uma das partes dos Everything But The Girl, teve uma curta carreira a solo, antes mesmo de formar esse par de sucesso com a cantora Tracey Thorn.
Editou em 1983 um álbum intitulado «North Marine Drive» que teve como convidado e parceiro especial o já então consagrado músico Robert Wyatt.
O antigo líder dos Soft Machine participa em cinco temas compostos por Ben Watt.
Uma dessas canções chama-se "Walter And John" e é o encontro único do ainda membro dos Everything But The Girl com o também inglês Robert Wyatt, cuja carreira a solo remonta ao ano de 1974.
Esta parceria é de há trinta anos, no trabalho «North Marine Drive» de Ben Watt em dueto com a voz de Robert Wyatt.

DOWNLOAD

Nota: o mini-álbum «Summer Into Winter» (1982) que contém o tema “Walter And John” foi incluído no alinhamento da edição em CD do álbum «North Marine Drive» (1983).

















LINHAS CRUZADAS #55
Tempo total: 05:24
Ouvir/download/podcast

domingo, 24 de março de 2013

Hoje em NOVA IORQUE



sábado, 23 de março de 2013

Hoje em COIMBRA



sexta-feira, 22 de março de 2013

THE BEATLES - 50 anos





















Até ao fim deste ano, aqui na «Rádio Crítica», a passagem pela obra integral dos Beatles através dos álbuns de originais pertencentes à discografia oficial, entre os anos de 1963 e 1970.
É a comemoração de meio século desde a edição de «Please Please Me», o primeiro álbum dos Beatles, editado no dia 22 de Março de 1963. Faz hoje 50 anos.
O primeiro single, "Love Me Do", foi editado no dia 5 de Outubro de 1962. O segundo single, "Please Please Me", foi editado no dia 11 de Janeiro de 1963.
A banda encontrava-se já na sua formação definitiva [Jonh Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr], mas a versão do tema "Love Me Do" incluído neste primeiro álbum ainda foi com o baterista Andy White.
As restantes 12 canções (à excepção óbvia de "Love Me Do" e "Please Please Me") foram gravadas numa só sessão, em cerca de dez horas, durante o dia 11 de Fevereiro de 1963.
O tema "Twist And Shout" foi o último dos 12 a ser gravado, por exigir uma grande pujança vocal a John Lennon, que depois ficaria sem mais capacidade na voz para gravar o que quer que fosse.
Ainda em 1963 os Beatles editariam o segundo álbum de originais, no mês de Dezembro.
O mundo da Rádio aderiu em massa ao fenómeno dos Fab Four a partir do álbum de estreia. Muita da fama dos Beatles a partir dessa altura deve-se à popularidade disseminada nas ondas hertzianas, mas também é verdade que a ânsia em ouvir os Beatles na Rádio proporcionou a esta dias de autêntica glória.
A música Pop anglo-saxónica nunca mais foi a mesma e a Rádio também não. Floresceram programas única e exclusivamente dedicados à Beatlemania. E um pouco por todo o mundo continuam a existir, embora menos, como é compreensível. Os Beatles marcaram e marcam a história da Rádio, mas o tempo não pára. Ainda assim, os Beatles detêm um estatuto (quase) consensual no que respeita à passagem da sua música nas estações de Rádio. Rapidamente se tornou num filão infindável. Portugal não é excepção, apesar de passarem pouco e, quando isso acontece, serem quase sempre as mesmas canções. O que é um tremendo desperdício, dado que a obra dos Beatles é muito mais vasta, variada e profunda do que se julga actualmente. Vai muito para além do simples Yeah Yeah Yeah.












THE BEATLES - Please Please Me (1963)

Lado A

I Saw Her Standing There
Misery
Anna (Go To Him)
Chains
Boys
Ask Me Why
Please Please Me

Lado B

Love Me Do
PS I Love You
Baby It's You
Do You Want To Know A Secret?
A Taste of Honey
There's A Place
Twist And Shout

The Beatles – “Please, Please Me” (1963):



Documentário televisivo (actual) na BBC4 sobre a sessão de gravação do álbum «Please Please Me»: 


quinta-feira, 21 de março de 2013

Hoje em CASTELO BRANCO
































Novo JAZZ português que não passa na Rádio portuguesa

Sérgio Godinho sobre o álbum «360» de José Dias Quartet:

A música é a mais imaterial das artes. Voga no ar à espera que as ondas a atravessem.
E depois, só se põe em movimento quando músicos a materializam no primeiro acto de criação. Nesse momento, ela existe para sempre, e depois apaga-se e reconstroi-se como uma malha de diferentes padrões e tecidos. É essa energia, é esse destino e a vontade de o cumprir e partilhar que nos serve de morada, palco a palco. É assim a mais imaterial das artes.
Brindo à inventiva e à execução, brindo à aventura do José Dias e do Quarteto. Brindo a toda a volta, a 360.



Frederick Moehn (New York University and King's College London) sobre «360» de José Dias Quartet:

Put on a good pair of headphones late in the evening, when there are no distractions, and listen to the new album from the José Dias Quartet, titled 360. That way, you will be able to hear just how well this ensemble plays together. You’ll be taken in, for example, with the way the opening track, ‘Até amanhã pai’ (See you tomorrow, father), builds to a driving, bluesy, groove that recalls the spirit of hard bop. José Dias and Moisés Fernandes solo on electric guitar and trumpet respectively, while Pedro Pinto (bass) and Rui Pereira (drums) propel the song toward an invigorating final several bars in which Pereira’s drumming shines. With those headphones still on, you’ll enjoy the subtle conversations that take place between the four musicians in the contemplative ‘Depois do mal’ (After the bad). You’ll appreciate the funky shuffle that underpins ‘...Pânico’ (Panic). 
José Dias, a graduate of Lisbon’s renowned Hot Club School for jazz and now a doctoral student at the Institute for Ethnomusicology at the Universidade Nova de Lisboa, composed all but one of the nine pieces on 360. "Mere suggestions for the musicians to deconstruct and recreate," he says of his compositions. The quartet injects a new vitality into the Portuguese jazz scene, and it’s no wonder: Fernandes and Pereira studied at the Amsterdam Conservatory where they played with young musicians from throughout Europe. The bassist has classical training, while the trumpeter also plays with the group O’questrada, which draws on traditional Portuguese genres; José Dias is attentive to the work of innovators such as American guitarist Ben Monder, or Norwegian jazz composer Mats Eilersten. 
Still got your headphones on? Don’t miss Pereira’s pointillist drum solo on ‘Tumulto’ (Tumult), or the placid communal musings of the last sixty seconds of Rui Pereira’s ‘Ainda’ (Still). 
You can do this with a click of your mouse because the album is downloadable from Sintoma Records. Having done so, perhaps you’ll agree that it’s music worth making a contribution toward (you can do so on a donation basis at the site). And then, if you’re fortunate, you can go see the quartet live!

Hoje em COIMBRA



quarta-feira, 20 de março de 2013

Hoje em COIMBRA















segunda-feira, 18 de março de 2013

Boas novas canções de 2013

... que (quase) não passam na Rádio 


Foxygen – “San Francisco” (2013):


Nick Cave & The Bad Seeds – “Jubilee Street” (2013):



Nick Cave & The Bad Seeds – “We No Who U R” (2013):



Depeche Mode – “Heaven” (2013):



domingo, 17 de março de 2013

Hoje no BARREIRO



sábado, 16 de março de 2013

Hoje em COIMBRA

THE GHOST OF PIRAMIDA
Sábado, 16 de Março de 2013 . 22h00m
Casa das Artes da Fundação Bissaya Barreto
































Following the release of fourth album Piramida (Sep 2012, 4AD), Efterklang add another string to their bow with The Ghost of Piramida, a film by Danish director Andreas Koefoed, that documents the Danish trio’s visit to the abandoned Russian mining town where the record’s inception began back in the summer of 2011.

Accompanied by their taciturn and indifferent Russian polar bear guard, the group goes on an audio treasure hunt in the empty buildings of the abandoned town, while the narrator, former Piramida citizen Alexander, takes us back to a bygone era, when Piramida flourished and the immigrant Russian miners and their families lived in a Soviet parallel society far from the brutal reality of their homeland.

The Ghost of Piramida premiered in November 2012 in Amsterdam at the world’s biggest documentary film festival IDFA, and here the film was selected as one of the top three music films of the year. Since then, the film has been screened at several other film festivals and in art house cinemas around Europe.




Realizado por: Andreas Koefoed
Música: Efterklang
Duração: 57 minutos

Após o visionamento, a noite prosseguirá com um acervo de indie pop potencialmente dançável, cuidadosamente escolhido por elementos da Lugar Comum.

Entrada gratuita limitada a 50 pessoas. A reserva das entradas poderá ser efectuada através do endereço geral@lugarcomum.pt (com indicação do número de entradas pretendido, nome, BI e contacto); as reservas podem ser feitas até 15 de Março, devendo ser levantadas no local do espectáculo entre as 21h00m e as 22h00m do dia do concerto, sob pena de perderem efeito. 

sexta-feira, 15 de março de 2013

A LUGAR COMUM apresenta:

TIAGO SOUSA (Pt)
Sexta-feira, 15 de Março de 2013 às 21h30m
Casa-Museu Bissaya Barreto COIMBRA 
































Fundador da netlabel Merzbau, ao longo dos últimos anos o compositor e pianista Tiago Sousa tem sido um dos mais prolíficos e dinâmicos autores nacionais. Tendo no piano o eixo e denominador comum a todo o seu percurso, conduziu alguns dos seus trabalhos pelo universo literário, como é o caso de "The Western Lands" (2008), segundo o romance de William S. Burroughs, ou "Walden Pond’s Monk" (2011), inspirado na obra de Henry David Thoreau. Este último conjunto de composições mereceu distribuição internacional pela reconhecida editora Thrill Jockey (David Byrne, Fiery Furnaces, High Places), tendo sido associado pela crítica a referências como Erik Satie ou Debussy. Foi neste mesmo período que formou ainda o trio Pão, na companhia dos músicos Travassos e Pedro Sousa, projecto esse que deu forma a uma intensa agenda de concertos e na posterior edição de um álbum. Após comissão no Teatro Maria Matos, em Lisboa, no âmbito da qual contribuiu para o projecto Coro das Vontades, Tiago Sousa editou "Samsara", álbum influenciado pelo pensamento oriental. É este o trabalho que apresentará no mês de Março na Casa-Museu Bissaya Barreto, em Coimbra, num registo intimista que decerto demonstrará estarmos perante um dos mais interessantes músicos nacionais da actualidade.

Tiago Sousa vive acima das fronteiras dos géneros, traçando um mundo seu onde as heranças clássicas partilham espaço com ideias que escutou noutras vivências mais próximas (…) das periferias da cultura pop/rock.
Sound and Vision

Tiago Sousa está onde devia estar: a escrever música complexa mas com resultados que espelham uma enorme beleza e inteligência na composição.
Bodyspace

(...)  não falamos aqui de experimentalismo fácil e vazio, mas sim de um talento para tentar criar momentos únicos com a música, em que o complexo e o simples deixam de se contrariar. 
Diário de Notícias

Entrada geral: € 5,00
Entrada Associados Lugar Comum: € 4,00
Local de venda - Casa-Museu Bissaya Barreto, na noite do concerto, após as 21h15m.

A reserva das entradas poderá ser efectuada através do endereço geral@lugarcomum.pt (com indicação do número de bilhetes pretendido, nome, BI e contacto); as reservas podem ser feitas até 14 de Março, devendo ser levantadas no local do espectáculo entre as 21h00m e as 22h00m do dia do concerto, sob pena de perderem efeito.

Hoje em BRAGA


quinta-feira, 14 de março de 2013

Beatles em Portugal
































Em Dezembro passado foi reeditada a obra «Beatles Em Portugal» de Luís Pinheiro de Almeida e Teresa Lage.
Dez anos depois, uma edição revista e (muito) aumentada, actualizando todos os dados referentes às ligações directas e indirectas dos Beatles a Portugal.
Luís Pinheiro de Almeida, o maior conhecedor vivo português sobre a vida e obra dos quatro fabulosos de Liverpool, já foi um homem da Rádio. Assinou nas antenas da Renascença/RFM programas para a história, como «Amigos de Alex» (numa primeira fase ao lado de Luís Marinho), «Ob-La-Di-Ob-La-Da» e «Há Horas Felizes».
Em 2010 foi o convidado da TSF para, durante uma semana, revelar ao público da Rádio Notícias algumas das suas (preciosas) escolhas musicais.
Curiosamente nesse programa, o jornalista confessa não ter gostado, ao início, dos Beatles. Mas depois escutou uma canção que mudou tudo.
Ouvir aqui


Beatles em Portugal
De Luís Pinheiro de Almeida e Teresa Lage
Edição DOCUMENTA (ex-Assírio e Alvim); 264 p.

Os Beatles nunca tocaram em Portugal, seja por razões económicas, seja por razões políticas. O país, parco em recursos financeiros, vivia nos anos de 1960 em regime ditatorial, primeiro com Salazar e depois com Marcelo Caetano. As energias do poder delapidavam-se no esforço da guerra colonial que manietava e amordaçava a juventude, impedindo-a do seu direito ao lazer e à indignação. Esta segunda edição de Os Beatles em Portugal é essencialmente um livro-documento, uma espécie de inventário que colige toda e qualquer ligação dos Beatles a Portugal. Inclui entrevistas concedidas aos autores e a outros jornalistas portugueses, comentários de quem teve a oportunidade de contactar pessoalmente com algum dos membros da banda, histórias pouco conhecidas, como o facto de «Yesterday», provavelmente a mais famosa canção dos Beatles, ter sido escrita nas margens do rio Mira, no Alentejo.
A cereja no topo do bolo é a verdadeira história de “Penina”, canção composta em 1968 por Paul McCartney no Algarve, história que, sem precisão e rigor, é invariavelmente contada de forma errada nos livros estrangeiros, tomando-a como «verdade insofismável».
Em anexo publica-se, pela primeira vez, a discografia completa dos EPs e singles portugueses dos Beatles, com as respectivas capas, únicas no mundo, objecto de cobiça dos Estados Unidos ao Japão, da Suécia à Austrália.


Luís Pinheiro de Almeida

Adoro Portugal. Já estive no sul, como a maior parte dos turistas, várias vezes. E gosto daquela zona um pouco antes da costa, um pouco para o interior quando tudo fica muito verde. Eu e a Linda passámos lá bons tempos. Costumávamos passear a pé, mais nas aldeias pequenas. Passei lá bons momentos, é um sítio muito simpático. Gosto das pessoas e é um pouco menos turístico do que Espanha. Em certos aspectos é mais simpático. Agora, os espanhóis vão ficar zangados comigo… Mas é um sítio óptimo. Lembro-me de viajar de carro, do sul para Lisboa e de sentir o cheiro dos eucaliptos, lindo! É um sítio óptimo!

Paul McCartney

Luís Pinheiro de Almeida na «Rádio Crítica»

















Habemus Papam! La fumata è bianca!

quarta-feira, 13 de março de 2013

Novo álbum dos DEAD CAN DANCE



















Em plena digressão de «Anastasis», o disco de originais editado em Agosto do ano passado, os Dead Can Dance editam agora um registo ao vivo da primeira parte da passagem pela América do Norte ainda em 2012.
A actual digressão – a maior de sempre da dupla Brendan Perry e Lisa Gerrard – tem a duração de um ano (começou em Agosto passado e encontra-se com datas anunciadas até Julho deste ano). Já passou em Outubro por Portugal, num memorável concerto na Casa da Música no Porto e voltará ao nosso país em Maio e Junho deste ano.
O disco «In Concert» será oficialmente publicado no próximo dia 22 de Abril. 
Entretanto, no site oficial do grupo, foi ontem colocado à venda uma edição especial limitada de «In Concert», que esgotou logo na primeira hora.

O alinhamento de «In Concert»:

01 Children of the Sun
02 Anabasis
03 Rakim
04 Kiko
05 Lamma Badda
06 Agape
07 Amnesia
08 Sanvean
09 Nierika
10 Opium
11 The Host of Seraphim
12 All in Good Time
13 Ubiquitous Mr Lovegrove
14 Dreams Made Flesh
15 Song to the Siren
16 Return of the She King














Conclave: Nera anche la seconda fumata 

terça-feira, 12 de março de 2013

Hoje em ROMA
































Conclave: La prima fumata è nera!

segunda-feira, 11 de março de 2013

Hoje em FERRARA



domingo, 10 de março de 2013

Hoje na RADAR





















Esta semana o programa «Álbum de Família» é dedicado a uma das mais eficazes duplas da música electro-pop britânica do início dos anos 80:
Vince Clarke e Alison Moyet.
O músico Vince Clarke tinha abandonado os Depeche Mode e a cantora Alison Moyet vinha da banda Screaming Abdabs, mas foi nos Yazoo que se mostrava pela primeira vez a sério no mundo da música.
O álbum de estreia, «Upstairs At Eric’s», foi editado em 1982.
Dele fazem parte temas de sucesso sobejamente conhecidos, como por exemplo o clássico “Only You”, editado em single no dia 15 de Março desse ano.

Yazoo – “Only You” (1982):



O programa «Álbum de Família» de Tiago Castro na RADAR hoje ao meio-dia.
Repete amanhã às 23:00.
É originalmente transmitido às quartas-feiras às 14:00.

sábado, 9 de março de 2013

Hoje no ENTRONCAMENTO





















Festa dos 25 anos do Bar Adágio.

Hoje em LISBOA



sábado, 2 de março de 2013

+ Versões nos 25 anos da TSF













Outros artistas que, para além de Marta Hugon, aceitaram o desafio da TSF em versarem temas musicais do tempo em que a Rádio Jornal iniciou emissões regulares (29 de Fevereiro de 1988).
Canções Pop da segunda metade da década de 80 através de artistas e bandas nacionais:

Best Youth – "Never Tears Apart" [INXS]




Beat Laden & Yellow – "I Need You Tonight" [INXS]


Noiserv – "Don't Worry Be Happy" [Bobby McFerrin]



Dr.Estranho Amor – "Bairro do Amor" [Jorge Palma]



Rita Redshoes – "Father Figure" [George Michael]


David Fonseca – "Simply Irresistible [Robert Palmer]



Mesa – "Father Figure" [George Michael]



Márcia – "Is this Love" [Withsnake]



Ana Stilwell – "Ain't No Cure For Love" [Leonard Cohen]


oLudo – "É tão bom" [Sérgio Godinho]



The Weatherman – "Por Quem Não Esqueci" [Sétima Legião]



Miguel Ângelo(Fast Car) "Carro à Porta" [Tracy Chapman]



Das 40 versões gravadas em exclusivo para a TSF, encontram-se ainda os seguintes temas disponíveis para audição na Internet: 

Vitorino Voador – “A Groovy Kind of Love” [The Mindbenders]
O Martim – “Efectivamente” [GNR]
Salto – “Lisboa Que Amanhece” [Sérgio Godinho]
Minta & The Brook Trouth – “I Got My Mind Set on You” [George Harrison]
You Can Win Charlie Brown – “The Way You Make Me Feel” [Michael Jackson]
TV Rural – “Longa Se Torna a Espera” [Xutos & Pontapés]
A Jigsaw – “Sign Your Name” [Sananda Maitreya AKA: Terence Trent D´Arby]
DARKO Never Tear Us Apart” [INXS]

sexta-feira, 1 de março de 2013

25 anos de TSF


















Começou a emitir em Lisboa no dia 29 de Fevereiro de 1988.

Hoje em LISBOA













Transmissão em directo na TSF-Rádio Notícias