segunda-feira, 17 de maio de 2021

2ª feira na RUC

 











09:00/10:00 – Cover de Bruxelas 
10:00/12:00 – Café Olé 
12:00/13:00 – Malandragem Ó Malandragem 
13:00/14:00 – Every Monday I Have The Blues 
14:00/15:00 – Fahrenheit 107.9 
15:00/16:00 – Culto ao Delírio | Ocultoeiros | Ethos 
16:00/17:00 – Peta-Zetas 
17:00/18:00 – Godwana 
18:00/19:00 – Pecado Sonoro 
19:00/20:00 – Santos da Casa 
20:00/21:00 – Observatório 
22:00/23:00 – Bad Vibrations 
23:00/00:00 – Espelho de Narciso 
00:00/01:00 – Everybody’s Happy Et Moi Aussi 

Ouvir aqui 


domingo, 16 de maio de 2021

Domingo na RUM












08:00/10:00 – Olhar de Lá e de Cá 
10:00/12:00 – A Nossa Terra 
12:00/13:00 – Alumni Pelo Mundo 
16:00/17:00 – Arritmias 
17:00/18:00 – Retrovisor 
19:00/20:00 – Livros Com Rum 
20:00/22:00 – Pérola Negra 
22:00/00:00 – O Baile dos Bombeiros 
00:00/01:00 – O Cubo 

Ouvir aqui 


sábado, 15 de maio de 2021

Sábado na Antena2

  




09:00/10:00 – Café Plaza
10:00/11:00 – Quinta Essência
11:00/12:00 – A Propósito da Música
12:00/14:00 – Musica Aeterna
14:00/15:30 – O Tempo e a Música
15:30/16:00 – Páginas de Português
16:00/18:00 – A Força das Coisas
18:00/22:00 – Mezza-Voce
22:00/23:00 – Música e Pandemias
23:00/00:00 – Argonauta
00:00/01:00 – A Fuga da Arte
01:00/02:00 – Reflector 
02:00/03:00 – Olhar a Lua 

Ouvir aqui 


Sábado em Almada, Domingo em Lisboa

 




















A orquestra Metropolitana de Lisboa, a flauta de Janete Santos, a narração de Susana Henriques e a Perfeição de Bach. 
Neste encontro das Histórias da Família Rabiga sentamo-nos à volta da célebre Suíte Orquestral N.º 2, um conjunto de danças orquestrais que nunca foram pensadas para serem dançadas. Por entre as cordas da orquestra e do tradicional baixo contínuo, destaca-se aí a flauta transversal, em particular na célebre Badinerie, uma preciosidade que todos reconhecemos de imediato, plena de graça e fantasia. 


sexta-feira, 14 de maio de 2021

6ª feira na Antena3

 




19:00/20:00 - Prova Oral 
20:00/22:00 - Bons Rapazes 
22:00/00:00 - Música Com Pés e Cabeça 
00:00/02:00 - Muitos Mundos 

Ouvir aqui 


quinta-feira, 13 de maio de 2021

5ª feira na Antena1

 







13:00/14:00 - Portugal Em Directo 
19:00/20:00 - O Esplendor de Portugal 
23:00/00:00 - Cinemax 

Ouvir aqui 


quarta-feira, 12 de maio de 2021

4ª feira na TSF

 










10:00/12:00 - Forum 
13:00/14:00 - Uma Questão de ADN 
23:00/00:00 - Sem Moderação 

Ouvir aqui 


terça-feira, 11 de maio de 2021

3ª feira na Rádio Observador

 








11:00/12:00 – Café América 
12:00/13:00 – Conversas do Fim do Mundo 
15:00/15:30 – Cassete 60 
16:20/16:30 – O Lado Bom da Vida 
17:00/17:30 – Porque Sim Não é Resposta 
19:30/20:00 – Conversas de Fim de Tarde 
20:00/21:00 – Convidado Extra 

Ouvir aqui 


segunda-feira, 10 de maio de 2021

Vítor Nobre

1944-2021 










Profissional desde 1970, trabalhou na Emissora Nacional, Antena1, Rádio Expo, Antena2 e Rádio Autónoma. Docente de referência na Universidade Autónoma, formador no Centro de Formação da RDP e Cenjor. 


2ª feira na RADAR











13:00/14:00 – Última Valsa 
20:00/21:00 – Part Time Punks 
23:00/00:00 – Álbum de Família 
00:00/01:00 – A Hora do Bolo 

Ouvir aqui


domingo, 9 de maio de 2021

Domingo na SBSR











11:00/12:00 - Ponto de Fuga 
15:00/16:00 - Espuma 
19:00/20:00 - A Hora da Loira 
20:00/22:00 - The Selector 
22:00/23:00 - A Floresta Encantada 
23:00/01:00 - Vidro Azul 

Ouvir aqui 


sábado, 8 de maio de 2021

Hoje em LISBOA

 




















Os músicos da Metropolitana percorrem neste programa - dirigido ao violino pela concertino Ana Pereira - duas sinfonias de Joseph Haydn e a célebre sonata de Giuseppe Tartini Trilo do Diabo, aqui adaptada para a formação de violino e ensemble de cordas. 
Diz a lenda que, certa noite, o Diabo aproximou-se de Tartini com um violino e começou a tocar uma música belíssima. O compositor apressou-se depois a escrever na pauta aquela melodia. 
As sinfonias de Haydn juntam-se a este universo em que se mistura a realidade e o imaginário, o demoníaco e o sagrado. A N.º 84 é chamada «In nomine Domini». A N.º 44 «Fúnebre». Acha-se assim o diabo entre a luz e as trevas. 


sábado, 1 de maio de 2021








Inscrições até dia 7 de Maio aqui


terça-feira, 27 de abril de 2021

Germano Campos Entrevista

 













Começou em 2012 na RDP-Internacional 
Após oito anos 'no Ar', mais de setecentas emissões e mais de dois mil convidados, o programa «Germano Campos Entrevista» acabou no canal público de radiodifusão em Dezembro passado, sob o pretexto da direcção de programas em "refrescar a grelha" no novo ano. É uma das desculpas que se costumam dar quando se quer acabar com um programa de Rádio. 
O autor não baixou os braços e continuou a fazer as suas entrevistas agora em Podcast. Com total liberdade e independência, Germano Campos continua com a divulgação de novos valores artísticos ou menos conhecidos do grande público. 
Também no YouTube 











Germano Campos Entrevista na RDP-Internacional 
Ouvir aqui 


segunda-feira, 26 de abril de 2021

Hoje na RADAR

 













Editado no dia 17 de Junho de 1985 
Depois de ter sido transmitido na íntegra nas tardes da passada quarta-feira e Domingo, este disco chega hoje à noite na RADAR, no programa «Álbum de Família». 
O terceiro álbum dos Marillion foi um grande sucesso, com presença destacada na Rádio e também no Top de vendas nacional. 
A banda inglesa, ainda com o carismático vocalista escocês Fish, alcançou aqui a sua obra máxima. 
O álbum «Misplaced Childhood» é contextualizado na Rádio por Sarah Lemonnier, desta vez - correctamente - respeitando o alinhamento original da edição discográfica. 

Álbum de Família 
RADAR 
2ª feira | 23:00 
Ouvir aqui 

Postvitae
Este disco remete-me para a memória de um certo ano lectivo no liceu, em que um colega de turma era grande fã deste trabalho dos Marillion, captando a minha atenção para uma audição mais atenta. O som Neo-Prog Rock encontrava-se nas margens das minhas preferências. Naquele período andava mais direccionado para outros álbuns, como por exemplo «Brothers In Arms» dos Dire Straits, «Boys And Girls» de Bryan Ferry, «Steve McQueen» dos Prefab Sprout», «Working Nights» dos Working Week, «Meat Is Murder» dos Smiths, «Macalla» dos Clannad, «Black Celebration» dos Depeche Mode, «Promise» de Sade Adou, «Colourbox» dos Colourbox, ou «Spleen And Ideal» dos Dead Can Dance». O meu colega convenceu-me e fiquei a gostar bastante da primeira metade do álbum «Misplaced Childhood», que tem uma forte trilogia de temas de entrada. 
O propósito deste parágrafo tem tanto a ver com a Música como com o viver daquele tempo de há trinta e seis anos. Não havia telemóveis, nem Internet e os contactos perdiam-se com o fim das aulas. Por isso, onde quer que estejas, Leandro "camaligaia", espero que ainda ouças Rádio e que continues a gostar deste disco para o a qual me chamaste a atenção. Grande abraço para ti e para o teu irmão Saúl. 


domingo, 25 de abril de 2021

Café Plaza 500 emissões

 








A coincidir com os 47 anos da revolução dos cravos, o premiado programa «Café Plaza» celebra a data e as cinco centenas de emissões com uma edição especial dedicada ao fim da ditadura em Portugal, com recurso a sons de arquivo transmitidos pela Rádio nesse inesquecível dia inicial inteiro e limpo.  
Mais informação aqui

Café Plaza 
Antena2 
Realização de Germano Campos 
Domingo, 25 de Abril de 2021 
Ouvir aqui 


sexta-feira, 23 de abril de 2021

Dia Mundial do Livro

 




















Programas na Rádio sobre Literatura (todos na Rádio pública): 

Antena1 
À Volta dos Livros 
De Ana Daniela Soares 
Ouvir aqui

Antena2 
A Ronda da Noite 
De Luís Caetano 
Ouvir aqui 

A Força das Coisas 
Ouvir aqui 

A Vida Breve 
Ouvir aqui 

Última Edição 
Ouvir aqui 


quinta-feira, 22 de abril de 2021

Os 30 anos deste disco

 













This Mortal Coil - Blood 

Editado no dia 22 de Abril de 1991 
Terceiro e último álbum do projecto colectivo multinacional da editora independente britânica 4AD
Em todas as edições, o projecto incluiu novas visões de autores e intérpretes de várias nacionalidades e de várias décadas. Para além de temas originais do mentor do projecto, Ivo Watts-Russell, em co-autoria com John Fryer e Martin McCarrick, encontram-se aqui versões soberbas de temas originais dos australianos The Apartments, dos norte-americanos Spirit, The Byrds, Gene Clark, Chris Bell, David Roback e Emmylou Harris, dos canadianos Michael Brook e Mary Margaret O'Hara, do inglês Syd Barrett e do holandês Pieter Nooten. 
A triologia de álbuns dos This Mortal Coil ficou aqui fechada, tendo como antecedentes os álbuns «It'll End In Tears» (1984) e o também duplo «Filigree And Shadow» (1986). Da discografia completa faz parte o EP «Sixteen Days/Gathering Dust» (1983) e a derradeira compilação «Dust & Guitars» (2011). 
A par dos escoceses Cocteau Twins e dos australianos Dead Can Dance, os This Mortal Coil constituíram o triângulo de proa da editora sediada em Alma Road, Londres, que principalmente na década de oitenta, definiu e globalizou o conceito Indie Music
Actualmente arredado por completo da Rádio portuguesa, o espólio do universo This Mortal Coil proporcionou grandes momentos em programas de autor, como por exemplo «Morrison Hotel» de Rui Morrison na Rádio Comercial, «Íntima Fracção» de Francisco Amaral na Antena1 e TSF, «A Ilha dos Encantos» de Amílcar Fidélis na RFM e «Circuito Fechado» de José Mariño no CMR. 


terça-feira, 20 de abril de 2021

Dupla rasgada

A ruptura traumática entre a mais notável colaboração de um realizador de Cinema e um compositor de Música para filmes 





















Hitchcock rejeitou de forma cruel a magnífica partitura original que Herrmann compôs para o filme «Torn Curtain» [A Cortina Rasgada, 1966]. Um fim triste e doloroso que modificou para sempre a carreira de ambos, principalmente a de Alfred Hitchcok. A partir de então o mestre do suspense entrou em declínio até ao fim da carreira. A história está toda contada no programa «A Propósito da Música», na actual série dedicada a Bernard Herrmann. 

A Propósito da Música 
Antena2 
Realização de Alexandre Delgado 
3ª feira às 17:00 | 5ª feira às 05:00 
Ouvir aqui 


segunda-feira, 19 de abril de 2021

Boa Rádio no segundo confinamento

 























Está a ser um desconfinamento em várias fases, após um segundo confinamento menos surpreendente e menos rigoroso que o primeiro. 
Ao longo do segundo confinamento provocado pela pandemia de Covid-19, a Rádio continuou com alguns dos procedimentos anteriores. Teletrabalho, sempre que possível. Reduções das transmissões em directo a partir do exterior, mas já com relatos de Futebol nos estádios. Retransmissão de programas primeiramente emitidos, recurso a arquivos mais ou menos recentes e redução de alguma programação, mas de pouca monta. Alguns programas especiais dedicados ao tema, principalmente debates e entrevistas, continuaram a marcar forte presença em antena, bem como o regresso de outros. 

Música e Pandemias 
Antena2 
Ouvir aqui 

Um Dia de Cada Vez 
TSF 
Ouvir aqui 

A Luz Ao Fundo do Túnel 
Rádio Observador 
Ouvir aqui 

domingo, 18 de abril de 2021

Hoje na Escola Artistica de Música do Conservatório Nacional

 


terça-feira, 13 de abril de 2021

Final de mandato









Terminou no dia 26 de Março o segundo e último mandato do provedor do ouvinte da Rádio pública, João Paulo Guerra. 
Aguarda-se agora que a nova administração da RTP nomeie o sexto provedor. 

Em Nome do Ouvinte (V série, 2017-2021) 
Ouvir toda a série aqui 


domingo, 11 de abril de 2021

Hoje na RADAR

 













Editado no dia 22 de Junho de 1985 
O mais aclamado álbum dos ingleses Prefab Sprout, de onde despontaram clássicos da Pop britânica como os temas "Faron Young", "Appetite", "When Love Breaks Down", "Goodbye Lucille #1", "Horsin' Around" e "Desire As". Canções de grande elegância do compositor Paddy McAllon, hoje em dia muito raras de se ouvirem na Rádio em Portugal. 
Agora a transmissão integral deste disco do grupo britânico no programa «Álbum de Família» na RADAR, desta vez voltando a não respeitar o alinhamento original da obra, o que desvaloriza o programa de Rádio. Realização e apresentação de Sarah Lemmonier. 

Álbum de Família 
RADAR 
Domingo 12:00 | 2ª feira 23:00 
Ouvir aqui 

Alinhamento original de «Steve McQueen»
01. Faron Young 
02. Bonny 
03. Appetite 
04. When Love Breaks Down 
05. Goodbye Lucille #1 
06. Hallelujah 
07. Moving the River 
08. Horsin' Around 
09. Desire As 
10. Blueberry Pies 
11. When the Angels 


sábado, 10 de abril de 2021

Emissora Católica Portuguesa

10 de Abril de 1937  









Este ano será apresentado uma nova plataforma digital da RR contendo podcasts e videocasts
Ouvir aqui


quinta-feira, 1 de abril de 2021

Guia de sobrevivência para radialistas no século XXI



Escolhe a Rádio onde gostarias de trabalhar. Se for a Rádio a escolher-te, pensa bem onde te vais meter. 

Se o teu maior desejo é fazer Rádio, não desistas dos teus sonhos. Continua a dormir. 

Vê bem a Rádio onde vais trabalhar. A partir dessa decisão terás 50% de felicidade ou 90% de miséria. 

Podes escolher a Rádio onde trabalhar, mas não podes escolher os donos dela, quem nela manda, nem quem lá trabalha. 

Na Rádio o teu compromisso é para com quem te ouve, mas não são os ouvintes que te pagam. 

Nesta profissão o que custa são os primeiros trinta anos. Depois é só sofrer. 

Conforma-te, pois  todos os esforços são inglórios na Rádio. Está sempre tudo por fazer. A Rádio é a arte suprema do efémero. 

Se começaste a fazer Rádio na era analógica és uma vítima digital. 

Não fales demasiado tempo ao microfone nem muito depressa. Quase ninguém vai perceber o que dizes. Se falares pouco, também não, mas cansas-te menos. 

Dorme muito e alimenta-te bem antes de uma emissão em directo. Primeiro, porque nunca sabes quanto tempo vais ter que lá estar, depois porque a Rádio é uma coisa horrível de se fazer com sono e fome. 

Quando cometeres um erro em directo, não fiques a pensar nele. Passa logo para o próximo. Ele não demorará a aparecer. 

Se entraste ao serviço, cumpriste o teu turno e saíste sem que ninguém tivesse dado por ti, é porque fizeste bem o teu trabalho. 

Se achas que a Rádio onde trabalhas está errada, é altura de começares a pensar que se calhar és tu a pessoa errada para essa Rádio. 

Quando a principal concorrente da tua Rádio está em dificuldades, a tua está em perigo. 

Se um colega te ofendeu e foi injusto contigo, dá-lhe uma segunda oportunidade, mas nunca uma terceira. Aos teus superiores hierárquicos não dês nenhuma. 

Evita a todo o custo seres gerador e portador de segredos. Faz-te de parvo, finge que não percebes. Podes fingir que és burro, ao passo que o contrário é completamente impossível de fazer. Jovem, se quiseres sobreviver finge-te de morto. 

Nunca te elogies. Essas apreciações, a existirem, têm que vir dos outros. Dá pouca importância a isso. Elogios vindos de colegas da mesma casa são, normalmente, falsos. Se fores elogiado pelos teus pares que trabalham em outras rádios, aprecia-os bem. Costumam ser verdadeiros, assim como muito raros. 

Cuidado com as pessoas que te elogiam falando mal dos outros. Ninguém tem boa reputação numa boca suja. 

Desconfia sempre de quem pode estragar-te a vida. Chefias à cabeça. A inveja de um colega é pior que o ódio de um inimigo. 

Ainda é possível fazeres algumas amizades verdadeiras na Rádio onde trabalhas, mas vais perdê-las. Ou porque os teus amigos se vão embora, ou porque vão trair-te. 

Não fiques muito tempo onde não és bem tratado. 

Toma sempre partido dos mais desfavorecidos. Os poderosos não precisam de ti para nada. 

Podes ter bons colegas de trabalho, mas não esperes ter bons amigos. Dá-te bem com todos, mas não sejas íntimo de ninguém. 

Não te importes com o que dizem de ti. Só tens de estar bem com a tua consciência. O resto não interessa. 

O melhor patrão é o que paga melhor, mas a melhor casa é aquela onde podes ser estúpido à vontade. 

Hoje não conseguiste dar o teu melhor? Amanhã voltas a tentar. 

Só há duas coisas verdadeiramente difíceis na Rádio: uma é entrar nela. A outra é sair. 

Estando na Rádio tens três oportunidades para mudares de profissão. As duas primeiras já as perdeste. 

Se estás a trabalhar na Rádio como poderias estar noutro sítio qualquer, és livre. Se amas profundamente a Rádio, tens um problema sério. 

Procuras exposição pública e protagonismo individual? Então deixa a Rádio em paz. Televisão, Cinema, Política, Circo e Tourada são o teu destino. 

Na Rádio não há impossíveis. Se quem manda diz que alguma coisa é impossível é porque não quer que faças algo de importante. 

Os limites na Rádio são os teus limites, não os da Rádio. Não faças fritos nem fretes. Ambas as coisas prejudicam gravemente a saúde. 

Rádio com imagem é a mesma coisa que um carro com asas ou ir para a cama com uma sereia. Não funciona. 

És um radialista da noite se apenas fizeres bem duas coisas de manhã: uma é dormires, a outra é deitares-te. 

Estás pronto para trabalhar bem de manhã cedo se jantares às quatro da tarde e ires para a cama às seis. Tens é de viver sozinho numa gruta. 

A Rádio dá-te uma boa vida se trabalhares de segunda a sexta-feira à tarde. Podes dormir de manhã,  jantar tranquilamente, ir ao Cinema ou a um concerto, ter sexo à sexta, apanhar um pifo ao Sábado e ressacar no Domingo. 

Evita fazer observações sarcásticas em antena. Se não conseguires, não as faças na mesma. 

Se estás bem na Rádio, querem que estejas mal. Se estiveres mal, querem que continues. 

Quer trabalhes bem, quer trabalhes mal, serás sempre criticado. Portanto, trabalha. 

Se fizeste um mau trabalho por erros teus, pensa que amanhã voltarás a errar, mas melhor. 

Escuta sempre com atenção o que as pessoas da Rádio te dizem. Se estiverem a cometer um erro, não as interrompas. Se não estiverem, aprende. 

Se achares que já sabes tudo sobre Rádio, vai-te embora. A Rádio é para aprendizes, não para sábios. 

Semeia bons ventos à tua volta, mesmo que colhas tempestades. Lembra-te que mais de metade do teu sucesso depende da simpatia e resistência que tiveres. 

Numa emissão assume o controlo total do que depende de ti. O que não depender de ti não é da tua conta. 

Tem cuidado se a cor da tua língua é igual à dos sapatos de quem manda. Lembra-te que senhores não se compadecem de súbditos. 
 
Toma nota das tuas boas ideias. Elas surgem sempre quando estás longe de um papel e de uma caneta. Se as conseguiste anotar, não as reveles. Vão roubar-tas. 

Quando te tratarem mal não respondas mal. A boa educação nunca está fora de moda. 

Mostra sempre respeito por quem trabalha para sobreviver. Se puderes, ajuda. Se não puderes, não atrapalhes. 

Inventar frases e palavras novas em antena é o pior disparate que podes fazer. Quem domina a língua portuguesa não inventa. Não precisa. 

Investe na tua carreira, mas não tudo. Guarda uma boa parte para outras coisas. Lembra-te que a melhor carreira é aquela que te leva para a praia. 

Se estiveres doente, não vás trabalhar. De nada vale teres pena da empresa. Se morreres, substituem-te no próprio dia. 

Não temas seja o que for. Usufrui ao máximo. Só estás na Rádio de passagem. Tu passas, a Rádio fica. E o que ganhas estando na Rádio podes ganhar em qualquer outro lado. Muito provavelmente, até mais. 

Podes adorar fazer Rádio, mas nunca te esqueças que o melhor da Rádio é ser ouvinte. No fim de escutares um bom programa, aplaude. 

Sabes que a tua Rádio já não é a melhor quando adormeces e acordas a ouvir outras. 

Aos dez anos sonhas em ser da Rádio. Aos vinte anos pensas como será a tua carreira na Rádio. Aos trinta sentes que tudo é possível na tua carreira. Aos quarenta pensas como ainda a podes salvar. Aos cinquenta pensas na carreira que poderias ter tido. Aos sessenta já só queres terminar com alguma dignidade. Aos setenta vais achar que tiveste uma boa carreira na Rádio. Aos 80 não te lembrarás de nada. 

Se alguma vez tiveres tempo e dinheiro - tens de possuir ambos - não trabalhes. Estuda e emigra. 

quarta-feira, 31 de março de 2021

A Rádio em pandemia

Hoje às 21:00 

























O Papel da Rádio em Contexto de Pandemia
Tiago Castro modera um painel constituído por Inês Henriques (Vodafone FM), Nelson Ferreira (Rádio Observador), Rui Portulez (SBSR.FM), Lara Marques Pereira (SBSR.FM) e Ricardo Mariano (SBSR.FM). 

Ouvir em plataforma digital aqui 

terça-feira, 30 de março de 2021

Hoje no Luxemburgo

 








Luxembrurgo - Portugal 
Fase de qualificação para o Mundial de Futebol no Qatar, que se realizará nos meses de Novembro e Dezembro de 2022. 
Transmissão em directo às 19:45 com relato nas rádios: 

Renascença 
Ouvir aqui 

Antena1 
Ouvir aqui 

TSF 
Ouvir aqui 

Observador 
Ouvir aqui 


segunda-feira, 29 de março de 2021

Hoje na RADAR

 













Darkside - «Psychic» 
Um notável trabalho de electrónica experimental, da dupla Dave Harrington e Nicolas Jaar, editado no dia 4 de Outubro de 2013. 
Passa hoje na íntegra na RADAR, no programa «Álbum de Família», depois do programa ter já sido transmitido na passada quarta-feira e ontem. 
Apresentação de Sarah Lemmonier, desta vez - e bem! - seguindo a ordem da obra originalmente publicada. 

Álbum de Família 
RADAR 
2ª feira às 23:00 
Ouvir aqui 


domingo, 28 de março de 2021

Dia Mundial da Poesia na Rádio

Foi há uma semana e a única estação de Rádio em Portugal onde há muita Poesia em antena dedicou-se ao tema com dois programas de referência 









Com a chegada da Primavera, celebra-se o dia mundial da Poesia. A Antena2, através dos programas «A Força das Coisas» e «Musica Aeterna», sublinharam a data num total de quatro horas com Poesia e Música. «A Força das Coisas» com Poesia de outros criadores nas vozes de diferentes autores, «Musica Aeterna» com, entre outras, obras musicais da antiguidade e Poesia de vários séculos, entre eles os séculos XIV, XVI, XVII e XVIII. 
Pontos máximos de estética e qualidade radiofónica. Momentos magníficos na Rádio portuguesa, impossíveis de acontecer se não existisse serviço público de radiodifusão. 

A Força das Coisas 
Antena2 
Realização de Luís Caetano 
20 de Março de 2021 
Ouvir aqui 

Musica Aeterna 
Antena2 
Realização de João Chambers 
21 de Março de 2021 
Ouvir aqui 


sábado, 27 de março de 2021

Hoje no ZOOM

 


domingo, 21 de março de 2021

Programas actuais na Rádio portuguesa com nomes estrangeiros









Estamos em Portugal, a língua oficial é o Português, falada por mais de duzentos e setenta milhões de pessoas no Mundo. O idioma Português é considerado riquíssimo, belo, identitário, estruturante, edificante, culturalmente histórico e extremamente valioso. No entanto, há numerosos programas de Rádio em Portugal com nomes em estrangeiro, utilizando títulos em Inglês, Francês, Italiano e Espanhol, entre outros. Desde estações de Rádio nacionais, regionais, locais e universitárias. Que belos nomes teriam muitos destes programas se os títulos fossem em Português de Portugal. 

Mezza-Voce, Boulevard, Lilliput, Happy Mondays, Six Pack, Mix Tape, Radio Call, Pinehouse Concerts, The Selector, Luxx FM, Vichyssoise, Jet Lag, Fact-Check, Zoom, Pop Up, Tie Break, Pet Radio, ZigZagZoo, Cinemax, Old Friends, Coyote, Em Repeat, Beet For Peeps, Nightclubbing, Nuestros Hermanos, Part Time Punks, Bad Vibrations, Everybody’s Happy Et Moi Aussi, Press Start, Coca-Cola Billy, Fahrenheit 107.9, Kepler, Spinning Jenny, Metaxy, Spot Hi-Fi, Osccilator, Gondwana, Nô Badja, Electric Dreams, Mellow, The Music Makers, Cocktail Mariachi, Smoker, Neo Tokyo, Cyberia, Every Monday I Got The Blues, Dubplate, Unexplained Sounds, Trip, BTT Sun Radio, A Playlist de, Merkaba, Music Hal, Expanded Jazz, Connected, Sister Midnight, High-Fi, Backstage, Blast!, Rum On The Rocks, Breaks LDA, Wi-Fi, The Weekend, Fast Forward, Slow Down, Beat By Beat, Last Night a DJ Saved My Life, Parkbeat, Sequence Radio, Soulspiracy, Salón Fuzz, Flashback, Mexetape, L’Espace, Snooze, Girls Night Out, The Listenning, Mega Hits Fresh, Hot N’ Slow, Sub-Grave, Slang DJ Oder, Jaked Radio, Hexagon Radio, Moche Ring, I Love Kizomba, Martin Garrix Radio Show, Sudoeste Weekend, Sunset Sudoeste. 

Programas às dezenas com nomes estrangeiros, actualmente ‘no Ar’ em estações como a Antena1, Antena2, Antena3, Rádio Comercial, RUC, RUM, TSF, RFM, Mega-Hits, RADAR, Oxigénio, Vodafone FM, MEO Sudoeste, SBSR e Rádio Observador. 


sábado, 20 de março de 2021

A Propósito da Música

 










Está a ser uma delícia acompanhar a série de programas sobre a música do compositor Bernard Herrmann, a propósito dos 45 anos de sua morte. 
O programa de Alexandre Delgado na Antena2 passou agora pelas bandas sonoras dos, talvez, mais incríveis filmes de Alfred Hitchcock: «Vertigo» [A Mulher Que Viveu Duas Vezes, de 1958] e «North By Northwest [Intriga Internacional, de 1959]. Pelo muito que se fica a saber, pelo bem que sabe ouvir a Música de Herrmann, mesmo sem as imagens dos filmes. Valendo-se por si mesmas, as composições de Beranrd Herrman são, nos filmes de Hitchcock, uma "personagem" decisiva na sequência narrativa, dando às imagens das películas uma superlativa dimensão impossível de alcançar de outro modo. 
Obras soberbas, tanto os filmes como as bandas sonoras. 

VERTIGO 
13 de Março 2021 
Ouvir aqui




































NORTH BY NORTHWEST 
20 de Março 2021 
Ouvir aqui 









































A Propósito da Música 
Antena2
Realização e apresentação de Alexandre Delgado 
Sábado 11:00/12:00 
3ª feira 17:00/18:00 
5ª feira 05:00/06:00 

Ouvir aqui


terça-feira, 16 de março de 2021

0s 50 anos deste disco

 













Editado no dia 10 de Fevereiro de 1971 
A canção “It’s Too Late”, editada em single em Abril do mesmo ano, foi um sucesso arrebatador e multi-premiado. Belíssimas letras de Carole King, compositora de muitos e grandes clássicos da canção da contemporaneidade norte-americana, principalmente na década de 70, dando voz a muitos outros artistas de várias gerações. 
Há um lado trágico, inevitavelmente fatalista, em «Tapestry». O olhar feminino da vida desafortunada, da sucessão de azares e despeitos emocionais. 
Daqui brotaram temas que se tornaram clássicos, como o já citado “It’s Too Late”, “I Fell The Earth Move”, “So Far Away” e “You’ve Got a Friend”, que poucos meses depois conheceu uma versão muito conhecida por James Taylor. Também as novas versões de “Will You Love Tomorrow”, primeiramente gravada pelas Shirelles, em 1960 e “(You Make Me Feel Like) A Woman”, inicialmente gravada por Aretha Franklyn em 1967. 
Em tempos escutei grande parte deste disco na Rádio e foi com surpresa que, não há muito tempo ouvi, por acaso, o tema “It’s Too Late” na manhã da Antena3. 

Ouvir «Tapestry» na íntegra aqui 


segunda-feira, 15 de março de 2021

Entre o confinamento e a esperança



Este segundo confinamento está a ser menos rigoroso e menos respeitado que o primeiro, resultado da fadiga pandémica. O ainda grande desconhecimento do comportamento do vírus e principalmente das novas variantes estão a assustar cada vez menos a população, que desobedece sempre que pode às regras todos os dias. O plano de desconfinamento lento e gradual que entra hoje legalmente em vigor estava já, em parte, a ser feito. Resta esperar que os números não voltem a subir, levando o país para uma quarta vaga da pandemia e a um inevitável terceiro período de confinamento em Abril, como ocorrido noutros países, alguns deles já no 4º e 5º confinamento. Seja como for, uma pandemia são dois anos, portanto, estamos a meio. 
As imensas consequências imediatas, a médio e longo prazo são ainda difíceis de definir. Muitas delas estão já perfeitamente identificadas. Algumas das mais importantes foram descritas pelo sociólogo português Boaventura de Sousa Santos, no mais belo e interessante programa diário da actual Rádio portuguesa, a propósito do novo livro do investigador «O Futuro começa agora - Da Pandemia à Utopia». 

A Ronda da Noite 
Antena2
Realização de Luís Caetano 

1ª parte
8 de Fevereiro 
Ouvir aqui 

2ª parte
9 de Fevereiro 
Ouvir aqui 


domingo, 14 de março de 2021

Hoje na RADAR

 













Terceiro álbum da cantora, compositora e pianista inglesa Kate Bush. Editado no dia 8 de Setembro de 1980. 
Clássicos como "Babooshka", "Breathing" e "Army Dreamers" estão neste disco, que há muito não passam na Rádio em Portugal, mas passam agora na íntegra no programa «Álbum de Família». Apresentação e contextualização a cargo de Sarah Lemonnier. 

Álbum de Família 
RADAR 
Domingo ao meio-dia | 2ª feira às 23:00 
Ouvir aqui 

Alinhamento original de «Never For Ever»
Lado A 
01. Babooshka 
02. Delius (Song of Summer) 
03. Blow Away 
04. All We Ever Look For 
05. Egypt 
 
Lado B 
06. The Wedding List 
07. Violin 
08. The Infant Kiss 
09. Night Scented Stock 
10. Army Dreamers 
11. Breathing 


sábado, 13 de março de 2021

Lou Ottens

1926-2021 














Engenheiro holandês, inventor da Cassete, esse pequeno objecto de plástico rígido, onde no seu interior roda, de um lado para o outro, fita magnética com vozes e música gravada e muitos, muitos programas de Rádio. 
Lou Ottens tinha 94 anos de idade, a Cassete tem 60. 


terça-feira, 9 de março de 2021

Só se vive duas vezes

 













Das várias emissões especiais da «Íntima Fracção» – e foram muitas – esta é uma das mais singulares. Primeiramente emitida em Fevereiro de 2002, ainda no tempo em que o programa de Francisco Amaral estava na TSF. Uma segunda transmissão teve lugar em 2005, quando a «Íntima Fracção» se encontrava já em plena era digital na ESEC-Rádio e no Podcast GavezDois, ao mesmo tempo em que era transmitida ‘no Ar’ pelas rádios universitárias RUC e RUM. Seguiram-se outras retransmissões no RCP e na EMArtv-Andaluzia (Espanha). 
É uma sessão de um tema e suas variações (termo actualmente utilizado por Germano Campos no programa «Café Plaza» na Antena2, quando escolhe um tema e várias versões dele). 
Aqui, nesta emissão especial da «Íntima Fracção», é o clássico “You Only Live Twice”. Originalmente uma canção da banda sonora do filme com o mesmo nome, da série 007, em 1967, com o actor escocês Sean Connery como protagonista. Um tema musical de John Barry, com letra de Leslie Bricusse, na voz de Nancy Sinatra, com várias versões ao longo do tempo, de várias gerações de artistas actuais e antigos, versões em vários estilos, cantadas e instrumentais, incluindo trailers e pequenos extractos de diálogos do próprio filme. 
Outra singularidade desta emissão editada de forma definitiva pelo autor da «Íntima Fracção» é ser a única em que foi suprimido o indicativo do programa, para além da voz de Francisco Amaral nunca aparecer. 

Ouvir aqui