sábado, 19 de janeiro de 2019

Hoje no BARREIRO

Há gente da Rádio neste Teatro 
O Teatro é a Vida e a Rádio são as pessoas 







































Sinopse:
Nem sempre quando pegamos num texto sabemos o que fazer com ele. José Matias, foi um desses textos. Acabou por me interessar trabalhar, a forma como olhamos os outros, como os vemos e interpretamos, algo inerente à condição humana e que em José Matias se encontra no universo feminino. 
Nos dias de hoje, a lente de observação do outro encontra-se, ampliada, aumentada, através do obturador e da lente de uma câmara de filmar. O que assistimos em casa através da televisão, leva-nos a crer que tudo o que vemos é verdade e que espelha o que são pessoas reais. Uma verdade, plástica e distorcida, pela captação, pela encenação, pela edição, pela forma como nos é apresentada. 
O que são “pessoas reais” nos dias de hoje? 
O nosso José Matias, uma comédia de situação: 
O espectador é convidado a sentar-se na sala para assistir a uma caricatura de uma sit-com, como se fazia em tempos idos, filmada num teatro, com assistência, em directo/diferido, com o fim de ser transmitida para nossa casa em formato televisivo. 
Quatro actrizes, estrelas de televisão, representam as quatro mulheres criadas por Luísa Costa Gomes. 
Quatro mulheres cosmopolitas, fortes, independentes, sensíveis, apaixonadas ou talvez não, que vivem com José Matias no pensamento.
Quatro mulheres que representam a mulher, a filha, a prima, as amigas, as amantes, as confidentes, tudo em torno do ausente mas sempre presente, José Matias. 
Quatro mulheres, quais quatro gatas, digladiam-se por um homem no ginásio da vida. 
José Matias um entretém para quatro mulheres. 

José Alberto Almeida Matias, professor desagregado, espírito elevado e livre, mas de corpo casado, filho da mãe, marido de mulher, também pai de esposa e filho de esposa e pai de filha e filho de filha... E irmão da esposa, como os faraós do Egipto... 

Este espectáculo foi inicialmente programado como projecto de encenação a quatro mãos com o actor António Cordeiro. Para ele vai a nossa homenagem e solidariedade.

Ficha Artística e Técnica:
Autoria de Luísa Costa Gomes | Encenação de Rui Quintas.
Interpretação Adriana Lopes, Ângela Farinha, Carla Carreiro Mendes, Patrocínia Cristóvão e Vítor Nuno.
Cenografia: Ricardo Guerreiro | Figurinos: Ana Pimpista | Música: Miguel Ramos Félix | Construção de Cenário: Ricardo Guerreiro e Dário Valente |  Desenho de Luz: Rui Quintas | Luminotecnia: João Oliveira Jr. | Operação Técnica: Joana Gabriel | Design gráfico: Alexandre Antunes | Fotografia: Cláudio Ferreira | Produção Executiva: Catarina Santana | Apoio Geral: João Henrique Oliveira.

Classificação M/14
Sextas e Sábados às 21:30
​Reservas: arteviva.reservas@gmail.com
Tel. 910 093 886
Bilheteira: Abre uma hora antes do início da sessão | Bilhetes: 5€

















A ArteViva-Companhia de Teatro do Barreiro é uma Associação Cultural residente no Teatro Municipal do Barreiro, apoiada pela CMB.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Rodízio Fla-Flu










Bruno Nogueira e João Quadros, dupla de autores de humor, regressaram esta temporada à TSF, de onde nunca deviam ter saído. 
«Tubo de Ensaio» na TSF conheceu uma primeira vida, de mais de oito anos, entre 1 de Outubro de 2007 e 30 de Dezembro de 2015. Depois, a dupla rumou à Rádio Pública, onde permaneceu com a crónica «Mata-Bicho», estando na Antena1 e Antena3, entre os dias 19 de Setembro de 2016 e 29 de Junho de 2018. 
Há uma espécie de rodízio de humoristas a passarem pelas rádios portuguesas, que se tornou num dos pratos mais apetecíveis da programação. Só para lembrar alguns exemplos mais recentes: Maria Rueff esteve em dois momentos na TSF, agora está na Antena1 com a personagem Zé Manel taxista, que também já tinha passado pela Rádio Notícias. Nuno Markl esteve no humor da Rádio Comercial e Best Rock FM, depois na Antena3, regressando à Comercial. Salvador Martinha esteve na RFM e depois na TSF. João Franco Bastos está na Mega Hits, depois de ter estado nas manhãs da Antena3. António Raminhos encontra-se actualmente na TSF, depois de ter estado nas manhã da RFM. Joana Marques saiu em Dezembro da Antena3 para ingressar na Renascença. No início da presente temporada até aconteceu uma coisa não muito habitual, talvez mesmo inédita, de podermos ouvir Bruno Nogueira e João Quadros de segunda a sexta-feira nas manhãs da Rádio Comercial e semanalmente à sexta-feira na TSF, entre Setembro e Dezembro do ano passado. 
Esta roda viva de sustento humorístico faz lembrar um restaurante chamado «Fla-Flu» (numa alusão ao termo utilizado no encontro clássico dos clubes brasileiros de Futebol Flamengo e Fluminense), em que o ritmo a que as carnes passavam pela mesa era a tal velocidade que ainda quase nem se tinha provado uma especialidade já aparecia outra peça diferente a sobrepor-se-lhe. 
Há variedade para vários gostos e nem todas as iguarias são de primeira linha. Existe na Rádio humor de duvidosa qualidade, mas a roda vai continuar viva. Até porque o formato é um dos actuais conteúdos radiofónicos de maior sucesso na Rádio em Portugal, como está provado nas manhãs da Rádio Comercial, RFM e Antena3. 
Que o regresso do «Tubo de Ensaio» se mantenha na mesma antena, de forma continuada e duradoura, como da primeira vez em que esteve na TSF. 

Bruno Nogueira e João Quadros 
2ª a 6ª feira 09:20 e 18:40 
Sábado e Domingo 15:00 às 15:30 (versão compacto da semana). 

Bruno Nogueira e João Quadros na Rádio Crítica: 
Tubo de Ensaio (14 de Dezembro 2012) 
Tu(r)bo nisso! (15.de Maio 2015) 
Mata-Bicho (16.de Março 2017) 

sábado, 12 de janeiro de 2019

Hoje em LISBOA






































MOZART E HAYDN no TEATRO THALIA

A oportunidade de escutar uma das mais extrovertidas sinfonias de Wolfgang Amadeus Mozart – a N.º 28, poucas vezes tocada ao vivo – e o único dos seus concertos para fagote que chegou aos nossos dias. 
De Joseph Haydn, teremos a Sinfonia N.º 60, particularmente curiosa, pois consiste numa suíte composta pelos momentos musicais da representação cénica de uma farsa intitulada "O Distraído". Coloca, inclusivamente, a orquestra na condição de personagem. 

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

A LUGAR COMUM apresenta:

No começo do ano de 2019, a Lugar Comum apresenta em estreia nacional e data única um dos novos músicos a figurar no catálogo da editora Erased Tapes: David Allred trará o seu registo "The Transition" até Coimbra, apresentando-o na sala do Centro de Artes Visuais.






































David Allred (USA)
Sábado, 26 de Janeiro de 2019 às 22:00
CAV / Centro de Artes Visuais - COIMBRA 

























Nils Frahm, Ólafur Arnalds, Peter Broderick ou Douglas Dare são alguns dos nomes que, ao longo dos últimos anos, definiram o perfil da editora Erased Tapes. Tendo o piano como âncora, num constante diálogo com os diversos segmentos da electrónica, o trabalho destes e de outros compositores pertencentes aos quadros da label britânica confunde-se com a identidade desta, conferindo-lhe a consistência e coerência artística que raros projectos alcançaram. 
À semelhança do que aconteceu no passado, alguns destes músicos não só gravam pela Erased Tapes como, através de uma multiplicidade de colaborações, têm-se revelado instrumentais ao aparecimento e acolhimento nas suas fileiras de novos compositores. Tal foi o caso do californiano David Allred, engenheiro de som e músico de sessão, que tendo trabalhado, entre outros, com Chantal Acda e Heather Woods Broderick, acabou por ser desafiado por Peter Broderick a acompanhá-lo em algumas datas europeias e, posteriormente, a participar da colectânea “1+1=X”, aquando da celebração do décimo aniversário da Erased Tapes. 
O passo seguinte, contando sempre com a curadoria de Broderick, acabaria por resultar na gravação de um primeiro disco, editado em Novembro de 2018 pela label britânica. Intitulado “The Transition”, tem como pano de fundo as experiências vividas pelo norte-americano quando trabalhava num lar de idosos, confrontado com a efemeridade da vida e o desconhecimento do que se encontra para além dela. Tendo por base o piano e o baixo, seus instrumentos de eleição, ao longo de 10 faixas, o californiano constrói aos 26 anos um álbum de rara maturidade. Referências ao imaginário de David Lynch ou a narrativas recolhidas aquando da sua anterior ocupação, povoam as composições de Allred, conferindo-lhes um elemento de storytelling que não se encontra em alguns dos seus pares.  
A relação entre a Lugar Comum e a Erased Tapes remonta a uma primeira passagem de Peter Broderick por Coimbra, corria o ano de 2009, fazendo-se acompanhar então por um ainda relativamente desconhecido berlinense que testava as primeiras composições ao piano. Nils Frahm havia de regressar um ano volvido, na companhia de Heather Woods Broderick. Posteriormente, em 2014 e 2016, foi a vez de Peter e Heather, uma vez mais passarem por Coimbra para apresentarem novos lançamentos. Recentemente, em 2017, coube a Douglas Dare acrescentar mais um capítulo memorável a esta longa relação. 
É, pois, com indisfarçável prazer que a Lugar Comum dá início à sua programação para o ano de 2019, trazendo até ao palco do Centro de Artes Visuais, na noite de 26 de Janeiro, o norte-americano David Allred, o qual apresentará ao público o muito antecipado “The Transition”. 


David Allred - Ahoy 




David Allred - Don't You Wish 




This is music of transcendent beauty. 
The Times

Mournful piano, Allred's delicate baritone stretched and often glazed with subtle FX, like an ecclesiastical reading of John Grant's brooding pop. 
MOJO

Weltschmerz (world weariness) has seldom been as movingly beautiful as on this debut. 
Rolling Stone (Alemanha) 


Bilhetes:
7€ (associados Lugar Comum) 
8€ (geral) 

Dada a lotação limitada da sala, a garantia de lugar é aconselhada e pode ser efectuada mediante o envio de e-mail para lugarcomum.pt@gmail.com (indicando nome completo e número de documento de identificação para posterior confirmação). As entradas reservadas deverão ser levantadas na data e local do concerto, entre as 21:30 e as 21:50, sob pena de perderem o seu efeito. 
A subscrição anual da condição de "Associado Lugar Comum", no valor de 5€, permite o acesso a descontos e outras vantagens (mais informações em http://tiny.cc/lugarcomum_associado). 

Evento no Facebook 









Associação de Promoção e Divulgação Cultural

domingo, 6 de janeiro de 2019

Hoje no BARREIRO



sábado, 29 de dezembro de 2018

Os melhores 30 álbuns do ano

Opinião pessoal de quem ouviu estes álbuns de 2018, mas não todos os que foram editados neste ano. 
À excepção dos primeiros dez aqui apresentados, a ordem de importância dos restantes é aleatória.

























Low - Double Negative 

























Richard Swift - The Hex 



























Marlon Williams - Make Way For Love 


























MGMT - Little Dark Age 

























John Maus - Addendum 

























Dead Can Dance - Dionysus

























Thom Yorke - Suspiria 

























Artic Monkeys - Tranquility Base Hotel + Casino 


























Beach House - 7

























Mitski - Be The Cowboy

Loma – Loma 
Lucy Dacus – Historian 
Daniel Blumberg – Minus 
U.S. Girls – In a Poem Unlimited 
Anna Calvi – Hunter 
Cat Power – The Wanderer 
Matty Tavares – Déjàvu 
Israel Nash – Lifted 
Jim James – Uniform Distortion 
Damien Jurado – The Horizon Just Laughed 
Connan Mockasin – Jassbusters 
Julia Holter – Aviary 
Frankie Cosmos – Vessel 
Gang Gang Dance – Kazuashita 
Courtney Barnett – Tell Me How You Really Feel 
Lauie Anderson & Kronos Quartet – Landfall 
Jon Hassell – Listening To Pictures 
Melody’s Echo Chamber – Bon Voyage 
Spiritualized – And Nothing Hurt 
The Low Anthem – The Salt Doll Went to Measure the Depth of the Sea 
Yuno – Moodie 

Melhor reedição internacional
The Beatles – The Beatles [White Album, 1968] 

























Melhor álbum nacional cantado em português
Glockenwise – Plástico 

















Melhor “cena fora da caixa” do ano em Portugal
Conan Osiris – Adoro Bolos 



Video do ano
MGMT – When You Die



A canção POP internacional do ano 2018
Mitski - Nobody 


sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

Boa Rádio portuguesa em 2018





















Antena1 
Cinco Minutos de Jazz
Em Nome do Ouvinte V (programa do provedor da Rádio Pública) 
Visita Guiada 
Costa a Costa
Crónicas da Idade Mídia
O Povo Que Volta a Cantar 
Visão Global 

Antena2 
A Ronda da Noite 
A Força das Coisas 
Argonauta 
A Fuga da Arte
A Grande Ilusão
A Vida Breve 
Antena2 Ciência
Caleidoscópio 
Há 100 anos 
Jazz a 2 
Musica Aeterna 
O Som que os versos fazem ao abrir
Um Certo Olhar (até Julho)
Última Edição 

Antena3 
Prova Oral 
Coyote
A Profecia do Duque 
Sessão da Meia-noite (desde Setembro) 
O Disco Disse 

TSF 
Forum 
A Playlist (dependendo das escolhas musicais da personalidade convidada) 
O Estado do Sítio (desde Maio) 
Zona de Conforto (até Julho) 
Tubo de Ensaio (desde Setembro) 

RADAR 
Íntima Fracção 
Álbum de Família
A Hora do Bolo 
Comércio Livre 

SBSR 
Vidro Azul 
Em Transe 
A Floresta Encantada
A Hora da Loira

Certamente existem mais programas de autor (e outros espaços radiofónicos) que poderiam fazer parte desta selecção, mas não posso pronunciar-me sobre o que não ouvi e não conheço, ou ouvi pouco e conheço mal. 

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Zona de Uma Nota Só



















Na celebração dos 60 anos da Bossa Nova em 2018, a Rádio dedicou uma série de emissões alusivas ao tema e ao aniversário de seis décadas do mais internacional estilo musical cantado em português.
No entanto a série não chegou ao fim, estando primeiramente previsto o seu final para finais de Dezembro deste ano ou, quanto muito, em Junho de 2019, já depois de todas as comemorações, edições especiais e reedições de algumas das obras fundamentais, remasterizadas, revistas e aumentadas. Assim não foi, surgindo um outro desafio, relacionado com a actualidade de uma outra vertente musical. Uma nova vereda com estatuto de irrecusável. 
Apesar da interrupção, o essencial foi feito.
O género musical cantado em português que mais se mundializou está patente na série «Zona de Uma Nota Só», podendo ser ouvida a partir daqui, da Rádio Crítica, ou directamente da página de programas da TSF aqui 

Emissões

quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

InSight

Enquanto uma grande parte da Humanidade se está a aniquilar, uma pequena parte da Humanidade sonha, pula e avança. 















Lançada em Maio, a sonda InSight aterrou no dia 26 de Novembro na superfície de Marte. A missão tem como objectivo estudar o subsolo marciano, analisando as várias texturas e composições rochosas. Como todas as missões espaciais, este ramo da actividade científica inclui elevados riscos, sendo um dos maiores a fase de aterragem. Correu na perfeição e pouco depois a InSight enviou as primeiras imagens. 
A notícia foi difundida pela Rádio. Em tempos recentes, a Rádio não se ocupava tanto destes assuntos. Continuando a ser um tema escasso e nada discutido no caudal informativo da Rádio em Portugal, é positivo que actualmente se encontrem notícias sobre os feitos espaciais da Humanidade, em busca de respostas sobre o Universo. 

O destaque actual da informação científica na Rádio portuguesa vai para o programa «Ciência Viva» na Antena2. 
Ouvir aqui

Notícias sobre a sonda InSight na TSF aqui















sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Solstício de Inverno



















O Solstício de Inverno ocorrerá no dia 21 de Dezembro de 2018 às 22:23, marcando o início da estação no Hemisfério Norte (a mais fria apesar da Terra vir a estar o mais perto do Sol a 3 de Janeiro). 
A duração do dia será de 09:27:03 horas, o que é apenas 1 segundo a menos do que no dia seguinte.
O Inverno prolonga-se por 88,98 dias até ao próximo Equinócio, a 20 de Março de 2019. 

Fonte: Observatório Astronómico de Lisboa 

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Hoje em LISBOA






































Uma vez esgotado o concerto de sábado, dia 22 de Dezembro, faremos uma récita extraordinária do Concerto de Natal, dia 20 de Dezembro às 21:00, no Refeitório dos Frades do Mosteiro dos Jerónimos. 
Um concerto composto exclusivamente por obras de Wolfgang Amadeus Mozart com a participação da soprano Sara Braga Simões e da Orquestra Metropolitana de Lisboa, dirigida pelo maestro José Eduardo Gomes. 

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Hoje em LISBOA






































Hoje, a partir das 21:30, na Igreja de São Pedro em Alcântara, com entrada livre.

domingo, 9 de dezembro de 2018

Hoje em LISBOA






































Em 1887, Rimsky-Korsakov recordou o episódio em que atracou num porto espanhol, ao serviço da Marinha de Guerra. A exuberância do Capricho Espanhol espelha o exotismo desse imaginário distante, mas convincente. Duas décadas mais tarde, o espanhol Manuel de Falla rumou a Paris, onde compôs pequenas peças para piano que evocavam o jardim de Alhambra em Granada, as sonoridades mouriscas do espírito andaluz e a alma festiva dos ciganos de Córdoba. Em 1915 juntou a orquestra ao piano, e resultaram estas suas «impressões sinfónicas». Cruzou-se então com Stravinsky quem, no rescaldo do sucesso do Pássaro de Fogo, continuava a surpreender o público parisiense nos espetáculos dos Ballets Russes. O novo bailado, Petrushka (1911), baseava-se na história de um boneco de palha que se apaixona por uma bailarina. 

domingo, 2 de dezembro de 2018

Hoje no BARREIRO



sábado, 1 de dezembro de 2018

Hoje em LISBOA






































A NINFA DO TEJO de Alessandro Scarlatti 
(Estreia Moderna)

Transporta-nos até à corte de D. João V, o rei que em 1709 desposou Maria Ana de Áustria e que tomou então Itália como principal referência no domínio da música. Na realidade, trata-se de um verdadeiro gesto diplomático, já que resultou de uma encomenda feita pelo inquisidor-mor do reino D. Nuno da Cunha e Ataíde em 1721, ano do conclave que ordenou o Papa Inocêncio XIII, quando o filho daquele mesmo compositor italiano ensinava música à princesa Maria Madalena Bárbara no Paço da Ribeira. Da mesma época, escutamos na primeira parte deste programa dirigido por Enrico Onofri, música de Natal também escrita em Itália – mais festiva do que devocional – e uma das inúmeras suítes orquestrais de Telemann que eram moda nas cortes dos principados germânicos.

CONFERÊNCIA 
DO MUSICÓLOGO LUCA DELLA LIBERA

Transcrição do manuscrito e adaptação do libreto de La Ninfa del Tago. 

domingo, 25 de novembro de 2018

Bossa Nova 60 anos

























Entre 2017 e 2018 a Rádio celebrou os sessenta anos da Bossa Nova, o género musical cantado em Português que mais se mundializou. Uma série de programas na TSF entre Outubro do ano passado e Setembro deste ano. As emissões encontram-se disponíveis na página de programas no site da TSF e foram apresentadas aqui na «Rádio Crítica» ao longo dos últimos meses. 
Derradeira emissão com algumas das outras vozes que cantaram a Bossa Nova, como por exemplo Maria Creuza, Alaíde Costa, Lenny Andrade, Ana Lúcia, Elza Laranjeira e Alaíde Costa, Ivette, Agostinho dos Santos, Lúcio Alves, Dolores Duran, Lenita Bruno e Odette Lara. 

Zona de Uma Nota Só 
Ouvir aqui

sábado, 24 de novembro de 2018

Hoje em LISBOA






































O Concerto para Violino e Orquestra de Luís de Freitas Branco convida-nos a vaguear pelo século XX português. Foi composto em 1916, quando o país se viu definitivamente envolvido nos conflitos da Primeira Grande Guerra. Só seria estreado no dia 25 de Abril de 1940, no Teatro da Trindade, com o violinista espanhol Francisco Benetó e o maestro Pedro de Freitas Branco à frente da Orquestra Sinfónica da Emissora Nacional. Já em 1980, o violinista Vasco Barbosa foi solista numa gravação da Portugal Som e, mais tarde, transmitiu a Carlos Damas os segredos de um manuscrito que nunca chegou a ser revisto pelo autor, para efeitos de publicação. Carlos Damas fez a estreia internacional da obra em 1999, em Paris. Interpreta-a agora à frente da orquestra de que faz parte. O programa completa-se com a Sinfonia Trágica de Schubert. Composta 100 anos antes, o seu título que ilustra bem o espírito irónico do músico austríaco.

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Bossa Nova 60 anos










Entre 2017 e 2018 a Rádio celebrou os sessenta anos da Bossa Nova, o género musical cantado em Português que mais se mundializou. Uma série de programas na TSF entre Outubro do ano passado e Setembro deste ano. As emissões encontram-se disponíveis na página de programas no site da TSF e que estão a ser apresentadas aqui na «Rádio Crítica».
Dois programas com o concerto ao vivo entre mestre e discípulo. Juntos em palco, João Gilberto e Caetano Veloso.
















Zona de Uma Nota Só
1ª parte
Ouvir aqui
2ª parte
Ouvir aqui

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

Bossa Nova 60 anos










Entre 2017 e 2018 a Rádio celebrou os sessenta anos da Bossa Nova, o género musical cantado em Português que mais se mundializou. Uma série de programas na TSF entre Outubro do ano passado e Setembro deste ano. As emissões encontram-se disponíveis na página de programas no site da TSF e estão a ser apresentadas aqui na «Rádio Crítica» ainda ao longo dos próximos dias. 
Programa dedicado à obra-prima que juntou a maior cantora brasileira de todos os tempos e o maior compositor da história do Brasil. 
























Zona de Uma Nota Só
Ouvir aqui

quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Bossa Nova 60 anos










Entre 2017 e 2018 a Rádio celebrou os sessenta anos da Bossa Nova, o género musical cantado em Português que mais se mundializou. Uma série de programas na TSF entre Outubro do ano passado e Setembro deste ano. As emissões encontram-se disponíveis na página de programas no site da TSF e estão a ser apresentadas aqui na «Rádio Crítica» ainda ao longo dos próximos dias. 
Aqui o encontro histórico entre João Gilberto, Caetano Veloso, Gilberto Gil e Maria Bethânia. 

























Zona de Uma Nota Só
Ouvir aqui

terça-feira, 20 de novembro de 2018

Bossa Nova 60 anos










Entre 2017 e 2018 a Rádio celebrou os sessenta anos da Bossa Nova, o género musical cantado em Português que mais se mundializou. Uma série de programas na TSF entre Outubro do ano passado e Setembro deste ano. As emissões encontram-se disponíveis na página de programas no site da TSF e estão a ser apresentadas aqui na «Rádio Crítica» ainda ao longo dos próximos dias. 
Neste programa a grandiosa alma de Maysa dando voz às grandes melodias de Jobim. 



















Zona de Uma Nota Só
Ouvir aqui

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Bossa Nova 60 anos









Entre 2017 e 2018 a Rádio celebrou os sessenta anos da Bossa Nova, o género musical cantado em Português que mais se mundializou. Uma série de programas na TSF entre Outubro do ano passado e Setembro deste ano. As emissões encontram-se disponíveis na página de programas no site da TSF e estão a ser apresentadas aqui na «Rádio Crítica» ainda ao longo dos próximos dias.
Na íntegra, o álbum de Luiz Bonfá com a cantora Maria Toledo, Tom Jobim e o saxofonista Stan Getz.























Zona de Uma Nota Só
Ouvir aqui

domingo, 18 de novembro de 2018

Hoje em LISBOA





































Sebastian Perlowski, o irreverente maestro polaco que nos tem brindado com a sua boa energia nos últimos concertos de Ano Novo, regressa à direcção da Orquestra Metropolitana de Lisboa, aqui acompanhada pelo Coro da Rádio Polaca, com um programa muito especial: o Concerto para Piano e Orquestra N.º 1, de Frédéric Chopin, e a estreia nacional da Missa em Fá Maior de J. M. Poniatowski, uma obra recentemente redescoberta em Londres e dedicada ao Rei de Portugal Dom Luís I. 

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Bossa Nova 60 anos









Entre 2017 e 2018 a Rádio celebrou os sessenta anos da Bossa Nova, o género musical cantado em Português que mais se mundializou. Uma série de programas na TSF entre Outubro do ano passado e Setembro deste ano. As emissões encontram-se disponíveis na página de programas no site da TSF e estão a ser apresentadas aqui na «Rádio Crítica» ao longo dos próximos dias e semanas.
Mascos Valle, músico, compositor e cantor. Um dos mais sonantes nomes da segunda geração da Bossa Nova.
























Zona de Uma Nota Só
Ouvir aqui

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Bossa Nova 60 anos










Entre 2017 e 2018 a Rádio celebrou os sessenta anos da Bossa Nova, o género musical cantado em Português que mais se mundializou. Uma série de programas na TSF entre Outubro do ano passado e Setembro deste ano. As emissões encontram-se disponíveis na página de programas no site da TSF e estão a ser apresentadas aqui na «Rádio Crítica» ao longo dos próximos dias e semanas. 
Desta vez um programa dedicado ao chamado “álbum branco” de João Gilberto.
























Zona de Uma Nota Só 
Ouvir aqui

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Bossa Nova 60 anos










Entre 2017 e 2018 a Rádio celebrou os sessenta anos da Bossa Nova, o género musical cantado em Português que mais se mundializou. Uma série de programas na TSF entre Outubro do ano passado e Setembro deste ano. As emissões encontram-se disponíveis na página de programas no site da TSF e estão a ser apresentadas aqui na «Rádio Crítica» ao longo dos próximos dias e semanas.
Passagem pelas canções que a cantora Miúcha gravou em dois álbuns com Tom Jobim nos anos 70. Clássicos da Bossa Nova e outras canções. 
























Zona de Uma Nota Só
Ouvir aqui

domingo, 11 de novembro de 2018

Bossa Nova 60 anos









Entre 2017 e 2018 a Rádio celebrou os sessenta anos da Bossa Nova, o género musical cantado em Português que mais se mundializou. Uma série de programas na TSF entre Outubro do ano passado e Setembro deste ano. As emissões encontram-se disponíveis na página de programas no site da TSF e estão a ser apresentadas aqui na «Rádio Crítica» ao longo dos próximos dias e semanas.
João Gilberto no México, numa altura em que o maior interprete da Bossa Nova se encontrava exilado para fugir à ditadura militar do Brasil. 
























Zona de Uma Nota Só
Ouvir aqui