quinta-feira, 21 de maio de 2009

JOÃO BÉNARD DA COSTA












A morte entrou na sala escura
Em homenagem ao ex-director e presidente da Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, a TSF transmite hoje, depois do noticiário das 21:00, a conversa no programa «Pontos de Fuga», decorrida em 2005 na sala principal da Cinemateca em Lisboa. De uma longa conversa de mais de cinco horas, ouviremos 43 minutos de absoluta paixão pelo Cinema.
Quis o acaso do destino que fosse neste dia 21 de Maio – Dia Mundial da Diversidade Cultural – que víssemos desaparecer uma das grandes figuras da cultura nacional.
No mesmo rol dos acasos, volta à Rádio esta sessão especial da série de programas «Pontos de Fuga» que, até à data, é o meu último trabalho de autor na Rádio. Na edição original, este programa em que João Bénard da Costa é o convidado, foi mesmo o último da série a ser emitido, em Setembro de 2005 (reedição na Internet/podcast em 2007).
A conversa com João Bénard da Costa termina com um extracto da banda-sonora do filme «Johnny Guitar» (na voz de Peggy Lee), filme realizado por Nicholas Ray (1954) e que será exibido amanhã, sexta-feira (21:30) pela Cinemateca numa sessão especial em homenagem a João Bénard da Costa. «Johnny Guitar» é um dos filmes da vida de João Bénard da Costa.
A programação normal da Cinemateca está suspensa até segunda-feira.

----------------------------------------------------------------------------------------
O que eles dizem (45)

Um dia muito triste para o cinema português.
Uma das pessoas mais importantes para o cinema português.
Ninguém sabe nem se apercebe e vai-se descobrindo, pouco a pouco, a importância do João Bénard e a falta que nos vai fazer. Se há pessoas insubstituíveis, o João Bénard é uma delas.
Paulo Branco (Produtor de Cinema)

A seguir ao Dr. Félix Ribeiro, é uma referência fundamental na afirmação da cultura portuguesa, e teve um papel decisivo na afirmação da Cinemateca Portuguesa.
Eu gostaria de o recordar neste momento como um grande escritor.
Foi com António Alçada Baptista uma das almas da revista «O Tempo e o Modo», que teve uma importância fundamental na preparação da Democracia e na abertura de horizontes na vida literária e artística em Portugal.
João Bénard da Costa deixa um vazio impossível de preencher. É uma perda irreparável.
Guilherme d'Oliveira Martins (Presidente do Centro Nacional de Cultura)

Tinha um conhecimento como ninguém sobre a obra de Manoel de Oliveira.
João Fernandes (Director do Museu Serralves)

Criou a melhor cinemateca da Europa. Sem João Bénard da Costa não haveria cinema em Portugal, não haveria ideias para o cinema, nem um comportamento tão rigoroso sobre a acumulação de informação sobre o cinema.
Foi um actor excelente nos filmes de Manoel de Oliveira.

João Botelho (Realizador de Cinema)

É um golpe muito profundo. Estou muito emocionado.
Orientava muito bem a Cinemateca, escrevia admiravelmente e representava também muito bem. Chegou a participar em alguns filmes meus.
Manoel de Oliveira (Realizador de Cinema)

Um homem com um conhecimento único sobre o cinema.
Ele era o rosto, de facto, da Cinemateca Nacional. Era um homem de uma cultura extraordinária, era um gosto ouvir os seus discursos nas cerimónias do 10 de Junho, ler as suas crónicas, ler os seus textos.
É um dia de luto para a cultura portuguesa.
Aníbal Cavaco Silva (Presidente da República)

Ouvir mais aqui

No Tempo do Cinema – Biografia do escritor, professor, pensador e cinéfilo
Esta noite, a RTP2 transmite um documentário de 58 minutos sobre a vida e obra de João Bénard da Costa, pouco depois das 23:30. Este trabalho conta – para além do seu testemunho na primeira pessoa e com os depoimentos oriundos de vários quadrantes da sociedade – com Alberto Vaz da Silva, Vasco Pulido Valente, Alberto Seixas Santos, João Mário Grilo, Jorge Silva Melo, Miguel Lobo Antunes, Fernando Lopes, Maria João Seixas, Agustina Bessa-Luís, Manoel de Oliveira, Manuel S. Fonseca, Rita Azevedo Gomes, José Manuel Costa, Paulo Filipe Monteiro, Guilherme d’ Oliveira Martins, Lucília Alvoeiro, Maria Alice Castro, e os quatro filhos, João Pedro, Mónica, Sofia e Ana.

Invenção do Cinema Português
Lançamento do livro «A Invenção do Cinema Português» de Tiago Baptista, em Dezembro de 2008 (edição Pó dos Livros).
Um dos últimos eventos públicos em que esteve presente João Bénard da Costa.
Ver e ouvir aqui

«A 15ª Pedra» Conversa Filmada entre Manoel de Oliveira e João Bénard da Costa, com realização de Rita Azevedo Gomes e transmitida pela RAI-tre (Itália).
1ªParte (07:29”)
2ªParte (07:20”)
3ªParte (08:14”)



<< Home