terça-feira, 26 de abril de 2011

BLITZ 25 anos (+2)

















Esta é a edição de Abril da revista BLITZ (nº 58). Desde Julho de 2006 que o outrora jornal se transformou em revista. O jornal semanário musical BLITZ teve o primeiro número publicado no dia 6 de Novembro de 1984. Essa mesma edição inaugural é agora publicada com a revista deste mês.
Desde esse dia de Novembro até ao fim enquanto jornal, fui consumidor, leitor assíduo e até colaborador em algumas ilustrações através de concursos. Um deles sobre os The Doors.

Tive antigos colegas de liceu que trabalharam no BLITZ e até um antigo professor da disciplina de religião e moral.

Todas as terças-feiras eram uma ida automática às bancas.
Na maior parte desses anos nunca tive um local exclusivo de compra. Era onde calhasse. Por onde passava, comprava o BLITZ.
Houve uma ou outra banca onde comprava mais: na papelaria «Bonfim» (que ainda existe) da Dona Lurdes e, desde 1997, na loja dos jornais do Centro Comercial Via Europa.
Guardo alguns exemplares em formato jornal. Um deles - e que foi uma delícia para mim - é a última edição de 1989, em Dezembro, em que o BLITZ se dedicou à editora 4AD.
Das revistas, até agora, guardo quase todas.

Nunca se ouviu uma revista assim

O BLITZ jornal teve durante longos períodos de tempo ligações com a Rádio. Quer seja na publicação das listas rebeldes do «Som da Frente» de António Sérgio, ou nos tops dos programas «TNT-Todos no Top» de Jorge Pego e do programa «Discoteca» de Adelino Gonçalves [os três no FM da Rádio Comercial], quer na divulgação de programas como por exemplo «Colar de Pérolas» de Manuel Falcão (primeiro director do BLITZ) na RFM.
Também no BLITZ foram sendo entrevistadas ao longo dos anos várias figuras do mundo da Rádio, como por exemplo António Sérgio.
Esta ligação à Rádio conheceu hiatos e períodos de maior ou menor aproximação.
Actualmente, na revista, não há ligação nenhuma, excepto na página nº 34 da edição de Abril.
Na verdade, trata-se de uma página inteira de divulgação do programa «Rádio BLITZ», mostrando o mapa de Portugal continental e ilhas dos Açores e da Madeira, assinalado com as muitas estações locais que transmitem o programa «Rádio BLITZ».
O espaço foi inaugurado na SuperFM [104.8] na região da grande Lisboa. Sábados, das 16:00 às 18:00; Domingos das 18:00 às 20:00.
Ouvi duas vezes e dei o meu tempo por perdido.
O “programa” (com muitas "aspas") é um grande vazio, sem apresentação, sem conteúdos e sem ligação à publicação BLITZ. Uma ou outra frase pré-gravada a remeter para o BLITZ (leia ali, veja acolá, etc) e nada mais, com música a metro desprovida de qualquer tipo de apresentação ou enquadramento.

Havia uma complementaridade entre a informação musical publicada no BLITZ e a música transmitida na Rádio. Fundamentalmente nos programas de autor.
Com a implementação dos formatos de divulgação em playlist e o subsequente desaparecimento quase total dos programas de autor, essa simbiose evaporou-se.
De lembrar que estamos a falar dos tempos em que não havia a expansão que há hoje da Internet nem os múltiplos canais e formas de se chegar à música nas dimensões astronómicas, quantitativas e qualitativas que existem hoje.

Uma das coisas que mais gostava no jornal BLITZ era as listas de novidades discográficas editadas pela discoteca Motor (loja de discos, mais tarde rebaptizada de Bimotor).
Muitos discos foram assim comprados (primeiro em Vinil, depois em CD) na loja situada na Praça dos Restauradores em Lisboa.
Outras das coisas deliciosas do BLITZ era o pregão da semana.
Houve um que nunca mais esqueci, e que dizia o seguinte:

Jesus Cristo era português. Tinha mais de trinta anos, estava desempregado e vivia na casa dos pais

Blogue dedicado ao jornal BLITZ:
http://ovelhoblitz.blogspot.com/

A revista actual BLITZ:
http://blitz.aeiou.pt/

Nas imagens que se seguem: a primeira edição do BLITZ no dia 6 de Novembro de 1984; a revista BLITZ comemorativa dos 25 anos editada em Novembro de 2009 (revista nº 41) e, por fim, este que vos escreve, fotografado numa tarde de vento há vinte anos (Maio de 1991) na estação de Santa Apolónia em Lisboa, numa das muitas viagens de ida ou de regresso da cidade de Coimbra.
O BLITZ era uma companhia constante. Também o semanário/jornal de todos os espectáculos «SE7E», enquanto existiu.

1984
- 2009























<< Home