domingo, 3 de abril de 2016

Prémio Carreira
































Fotografia SPA

Aconteceu na passada semana uma espécie de alinhamento de planetas em que, antes do dia da entrega do Prémio Carreira Igrejas Caeiro, atribuído pela Sociedade Portuguesa de Autores, António Cartaxo esteve à conversa com Luís Caetano na Antena2. Em duas noites, em duas partes, no programa «A Ronda da Noite».
Foi a recuperação de uma entrevista concedida pelo autor do livro autobiográfico «Quase Verdade Como São Memórias», transmitida originalmente no canal erudito da rádio pública em 2010, aquando a edição da obra escrita pelo mais envolvente divulgador de Música Clássica da Rádio Portuguesa.
Uma das maiores personalidades da Rádio nacional no mais belo dos actuais programas diários da Rádio em Portugal.

Primeira parte:
Ouvir aqui

Segunda parte: 
Ouvir aqui 

































Histórias de Música e outras
O Prémio Carreira Igrejas Caeiro foi entregue a António Cartaxo na passada quarta-feira, no Auditório Frederico de Freitas da SPA, em Lisboa.
No decorrer da cerimónia António Cartaxo contou deliciosas histórias pessoais vividas ao longo dos mais de cinquenta anos de Rádio, desde a BBC de Londres, até à RDP.
Foram também apresentados extractos de emissões antigas concebidas por Cartaxo, como a parte inicial do programa premiado internacionalmente «Você gosta de Beethoven?», realizado em parceria com Jorge Ribeiro, em 1976. Nele puderam-se ouvir, para além das vozes dos próprios autores e dos actores António Montez e Rui Mendes, a voz de Luís Filipe Costa, outro grande vulto da História da Rádio em Portugal.
Igualmente foi exibido um extracto de um programa que António Cartaxo realizou sobre a Guerra Civil espanhola, onde se pôde escutar a participação de Cândido Mota. 

Melodias para sempre
Ficou anunciada uma série de repetições de programas de António Cartaxo na Antena2, nos meses de Junho, Julho, Agosto e Setembro, numa recolha elaborada pelo próprio autor.
Em final de cerimónia, António Cartaxo declarou que o prémio Igrejas Caeiro representa para ele o prémio de final de carreira: 
Está tudo dito, está tudo feito. 

































O Prémio Carreira Igrejas Caeiro, que distingue personalidades incontornáveis da Rádio portuguesa, foi criado pela Sociedade Portuguesa de Autores em 2013.
Depois dos premiados Luís Filipe Costa, Adelino Gomes, João Paulo Guerra e António Cartaxo, há agora outros nomes que se perfilam como merecedores da distinção: José Duarte, Cândido Mota, João Gil, Pedro Albergaria, Pedro Castelo, José Nuno Martins, João David Nunes, Jaime Fernandes, Fernando Correia e Paulo Fernando, entre outros. 



<< Home