domingo, 18 de fevereiro de 2018

Hoje em LISBOA







































O poema de Mallarmé que inspirou Debussy em 1892 conta a história de um fauno que, enquanto toca flauta de pã no meio da floresta, se deixa inebriar pela presença das ninfas. Vinte anos mais tarde, o bailarino Vaslav Nijinsky também se deixou encantar, mas pelo efeito hipnótico da partitura, e colocou em cena uma coreografia que escandalizou o público de Paris. Já o russo Mussorgsky baseou-se em quadros e aguarelas para percorrer com a sua música Quadros de uma Exposição. Estas duas obras são interpretadas por Eivind Gullberg Jensen à frente da OML, o maestro norueguês que já em 2016 nos trouxe Ravel e Sibelius. Junta-se-lhes desta vez o flautista Nuno Inácio, na interpretação do Concerto para Flauta do dinamarquês Carl Nielsen, datado de 1926. 





<< Home